“Breviário de Decomposição (1949): livro perigoso e essencial” – Rodrigo MENEZES

Ter um Cioran em casa é a antítese de ter uma arma de fogo. No caso de possuir as duas coisas juntas, se o leitor pegasse o livro em vez do revólver, perderia toda motivação de usar o revólver, contra si mesmo ou contra outrem: é um dispositivo de segurança contra tragédias (que se aproveitam… Continue lendo “Breviário de Decomposição (1949): livro perigoso e essencial” – Rodrigo MENEZES

“E.M. Cioran. La rivincita dell’ anti-Sartre” – Mario Andrea RIGONI

Corriere della sera, 28 febbraio 2011, p. 35. Riscoperta trasversale dello scrittore a cento anni dalla nascita D a quando, verso la metà degli anni Settanta, ho incominciato a frequentare Cioran, dedicandomi anche alla diffusione della sua conoscenza in Italia, mi sono spesso chiesto in che cosa consistesse la sua singolarità e quale fosse il rapporto… Continue lendo “E.M. Cioran. La rivincita dell’ anti-Sartre” – Mario Andrea RIGONI