“Ivã Karamazov devolve a entrada” – John GRAY

Um contemporâneo russo de Dostoievski, o crítico e reformista social Nikolai Mikhailovsky, referiu-se ao escritor como "um talento cruel". Ele tinha em mente, para começo de conversa, o tormento psicológico a que narrador da novela Notas do subterrâneo (1863) submete Liza, urna prostitui de quem se aproxima. Escreve Mikhailovsky: Não há motivos para sua maldade… Continue lendo “Ivã Karamazov devolve a entrada” – John GRAY

“O absurdo e o suicídio” – CAMUS

Só existe um problema filosófico realmente sério: o suicídio. Julgar se a vida vale ou não vale a pena ser vivida é responder à pergunta fundamental da filosofia. O resto, se o mundo tem três dimensões, se o espírito tem nove ou doze categorias, vem depois. Trata-se de jogos; é preciso primeiro responder. E se… Continue lendo “O absurdo e o suicídio” – CAMUS

“Pensar contra si próprio” – CIORAN

Um requisitório contra o otimismo new age, a cultura da autoajuda e suas receitas de felicidade, mas também contra a Teosofia e o Tradicionalismo, dogmatismos perniciosos que se inspiram em supostos mistérios, em supostas "verdades perenes". "Pensar contra si próprio" é o texto de abertura de A tentação de existir (1956), o terceiro livro de… Continue lendo “Pensar contra si próprio” – CIORAN

“Sobre Kirilov, personagem de Dostoiévski” – CAMUS

Todos os heróis de Dostoiévski se questionam sobre o sentido da vida. Nisto são modernos: não temem o ridículo. O que distingue a sensibilidade moderna da sensibilidade clássica é que esta se nutre de problemas morais e aquela de problemas metafísicos. Nos romances de Dostoiévski, a questão é colocada com tal intensidade que só admite… Continue lendo “Sobre Kirilov, personagem de Dostoiévski” – CAMUS

“Literatura e suicídio: alguns operadores de leitura” – Willian ANDRÉ

Acta Scientiarum. Language and Culture, v. 40(2), 2018. RESUMO. O objetivo deste artigo é oferecer alguns possíveis operadores de leitura para o desenvolvimento de análises sobre a questão do suicídio na literatura. A proposta parte da constatação de que, apesar de o autoaniquilamento ser um tema recorrente em manifestações literárias das mais diversas épocas, parecemos… Continue lendo “Literatura e suicídio: alguns operadores de leitura” – Willian ANDRÉ

“Um aliado na contracorrente” – Gabriel MARCEL

Gabriel Marcel, dramaturgo e filósofo (Paris, 1889-1973) existencialista cristão, escreveu uma obra tão numerosa e nada sistemática. Trata-se de um filósofo-escritor e não de um filósofo-professor. Seu pensamento de estilo meditativo e reflexivo investiga a condição humana no contexto deste século. Merecem destaque os temas da relação com o Outro, o da liberdade, da morte,… Continue lendo “Um aliado na contracorrente” – Gabriel MARCEL