“A alegria, a graça e a felicidade segundo ClĂ©ment Rosset” (JosĂ© Thomaz Brum)

Voluntas: Revista Internacional de Filosofia, Santa Maria, v.11, n.1, p.227-230. Originalmente publicado sob o tĂ­tulo La joie, la grĂące et le bonheur selon ClĂ©ment Rosset no periĂłdico francĂȘs Alkemie: Revue semestrielle de littĂ©rature et philosophie, n. 11 (DossiĂȘ temĂĄtico “Le Bonheur”), junho de 2013, p. 54-56. Resumo: Este artigo tem por objetivo apresentar as concepçÔes… Continue lendo “A alegria, a graça e a felicidade segundo ClĂ©ment Rosset” (JosĂ© Thomaz Brum)

“Os filtros do esquecimento” (ClĂ©ment Rosset)

Num livro recente, um autor contemporĂąneo, homem moral, bem pensante e bom catĂłlico, nĂŁo deixava em mistĂ©rio o critĂ©rio principal que diferencia, a seus olhos, o homem valioso do rebanho medĂ­ocre dos seres humanos. Graças Ă  existĂȘncia desses homens de boa vontade, estimava o nosso autor, ainda hĂĄ sobre a terra, apesar do que se… Continue lendo “Os filtros do esquecimento” (ClĂ©ment Rosset)

“Sinceridade, equidade, objetividade” (ClĂ©ment Rosset)

O desprezo pelo dado, a ausĂȘncia de submissĂŁo ao real, encontram no culto que se presta a alguns mitos antigos um alimento para a sua incĂșria. Sabemos que semelhantes forças, ao nĂŁo se empregarem para assumir-se a si mesmo, para assumir a realidade cotidiana e trĂĄgica, derrotam-se sem medida desde o momento em que se… Continue lendo “Sinceridade, equidade, objetividade” (ClĂ©ment Rosset)

“Um pessimismo (mui) pouco trĂĄgico: Cioran lido por ClĂ©ment Rosset” – Rodrigo InĂĄcio R. SĂĄ Menezes

Trata-se de contrapor e fazer dialogar duas filosofias, dois modo de pensar (o homem, a existĂȘncia, a vida e a morte, o tempo) que tĂȘm muito em comum, mas cujas conclusĂ”es podem ser radicalmente divergentes: a filosofia trĂĄgica, afirmativa e aprobatĂłria de ClĂ©ment Rosset (tendo como corolĂĄrio a alegria como "force majeure"), na linha de… Continue lendo “Um pessimismo (mui) pouco trĂĄgico: Cioran lido por ClĂ©ment Rosset” – Rodrigo InĂĄcio R. SĂĄ Menezes