“Pensar por si mesmo” – Arthur SCHOPENHAUER

§1. A mais rica biblioteca, quando desorganizada, não é tão proveitosa quanto uma bastante modesta, mas bem ordenada. Da mesma maneira, uma grande quantidade de conhecimentos, quando não foi elaborada por um pensamento próprio, tem muito menos valor do que uma quantidade bem mais limitada, que, no entanto, foi devidamente assimilada. Pois é apenas por… Continue lendo “Pensar por si mesmo” – Arthur SCHOPENHAUER

“Sobre a erudição e os eruditos” – Arthur SCHOPENHAUER

§1 Quando observamos a quantidade e a variedade dos estabelecimentos de ensino e de aprendizado, assim como o grande número de alunos e professores, é possível acreditar que a espécie humana dá muita importância à instrução e à verdade. Entretanto, nesse caso, as aparências também enganam. Os professores ensinam para ganhar dinheiro e não se… Continue lendo “Sobre a erudição e os eruditos” – Arthur SCHOPENHAUER

“Você é o que você come”: Cioran e a gula livresca

Quem me curará da minha terrível Bildungstrieb1? Meu amor pelos livros, a necessidade que tenho de me 'cultivar', a sede de aprender, de colecionar, de saber, de acumular bagatelas sobre todas as coisas — responsabilizar a quem? Prefiro, por razões de comodidade, colocar esses defeitos na conta de minhas origens: oriundo de uma nação onde… Continue lendo “Você é o que você come”: Cioran e a gula livresca

“Ditos & Contraditos”: Aforismos de Karl KRAUS

Apresentação Para fazer uma excelente sátira, bastadizer a maior parte das coisas como elas são.Karl Kraus, Hüben und Drüben(Do lado de cá e do lado de lá) Karl Kraus não foi apenas o maior autor satírico de língua alemã do século XX, mas chegou a ser considerado um dos maiores satiristas de todos os tempos,… Continue lendo “Ditos & Contraditos”: Aforismos de Karl KRAUS

“Nietzsche e a busca pelo seu leitor ideal” (Eduardo Nasser)

Cadernos Nietzsche, vol.1 no.35 São Paulo Dec. 2014 RESUMO: Durante praticamente todo o seu itinerário filosófico, Nietzsche se preocupou com a recepção de seu pensamento, desenvolvendo coordenadas de como gostaria que os seus escritos fossem lidos. Essas coordenadas passam a cumprir uma função particularmente significativa e estratégica no período em que o filósofo concebe o… Continue lendo “Nietzsche e a busca pelo seu leitor ideal” (Eduardo Nasser)