Santidade & Ceticismo: Modelos de Antinatureza, Duas Impossibilidades

Quando carregamos em nós germes de decepções e como que uma sede de vê-los eclodir, o desejo de que o mundo anule a cada passo nossas esperanças multiplica as confirmações voluptuosas do mal. Os argumentos vêm em seguida; a doutrina se constrói: só permanece ainda o perigo da “sabedoria”. Mas, se não queremos libertar-nos do… Continue lendo Santidade & Ceticismo: Modelos de Antinatureza, Duas Impossibilidades

“Festa para o pessimista”: 110 anos do nascimento de Cioran (1911-2021)

Completaram-se, em 8 de abril de 2021, 110 anos do nascimento daquele que passou a vida caluniando a vida e a morte, o nascimento e a existência, Deus e o mundo, tudo e nada e, é claro, a si mesmo. "Pensar contra si" foi o seu programa. Só pensava, só se metia a filosofar quando… Continue lendo “Festa para o pessimista”: 110 anos do nascimento de Cioran (1911-2021)

Cioran e a “ferida secreta de não ser músico”

"Tudo o que me ocupa, essas nostalgias de todo tipo, esses dilaceramentos uivantes, essa tristeza subterrânea, e esses arrepios de além de todos os mundos - é através da música que eu teria podido expressá-los, e é com toda razão que eu posso me declarar um fracassado [raté] por não ser músico.Essa ferida secreta de… Continue lendo Cioran e a “ferida secreta de não ser músico”

A centralidade do Coração no processo de cognição e na constituição da subjetividade, segundo Cioran

"Que haja ou não uma solução para os problemas, isso só preocupa uma minoria; que os sentimentos não tenham nenhuma saída, que não venham dar em nada, que se percam neles mesmos, eis o drama inconsciente de todos, o insolúvel afetivo que cada um sofre sem pensar nele."CIORAN, Silogismos da amargura (1952) "Olhando as coisas… Continue lendo A centralidade do Coração no processo de cognição e na constituição da subjetividade, segundo Cioran

“Cioran: da Solidão” – Ana Maria HADDAD BAPTISTA

"Cioran é um dos poucos filósofos que consegue atravessar, com tranquilidade, o sentido mais profundo da vida. Para ele fama e ser conhecido, contrariamente à maioria do que pensam as pessoas, é uma verdadeira desgraça. Ele nunca esconde tais posições. [...] é atualíssimo e mais do que isso: uma leitura obrigatória para quem busca um… Continue lendo “Cioran: da Solidão” – Ana Maria HADDAD BAPTISTA

Breviário de decomposição e outras poéticas: Conversações Filosóficas com Caio Souto

  https://www.youtube.com/watch?v=9IawFlmgTf8&t=2s Nesta conversa, Rodrigo Inácio Ribeiro Sá Menezes fez uma didática exposição de diversos aspectos da obra de E.M. Cioran, filósofo romeno de expressão francesa (bilíngue) do século XX. O entrevistado é o criador do Portal E.M. Cioran Brasil (link abaixo). Rodrigo Inácio Ribeiro Sá Menezes é Bacharel em Publicidade e Propaganda pela FAAP… Continue lendo Breviário de decomposição e outras poéticas: Conversações Filosóficas com Caio Souto

Aforismos & textos comentados: “Adeus à filosofia”

Em homenagem ao aniversário de 25 anos do falecimento do filósofo (8 de abril de 1911 - 20 de junho de 1995) https://www.youtube.com/watch?v=l1J5R6_5wvE Trata-se de uma leitura aprofundada e expandida, crítica e comentada, do texto de Cioran intitulado “Adeus à filosofia”, parte integrante do Breviário de decomposição, seu primeiro livro escrito em francês, uma vez… Continue lendo Aforismos & textos comentados: “Adeus à filosofia”

Aforismos & textos comentados: “Obsessão do Essencial”

  Todos os itinerários para fora do mundo reconduzem de volta a ele: o centrífugo é centrípeto. O tema desta primeira vídeo-análise de aforismos & textos de Cioran é "Obsessão do Essencial", um texto-chave importantíssimo no conjunto do Breviário de decomposição, livro de estreia em francês do autor de origem romena, pois uma chave de… Continue lendo Aforismos & textos comentados: “Obsessão do Essencial”

“Da dissolução” – Marco LUCCHESI

Revista Filosofia - Ciência & Vida, n. 161, abril 2020. Texto originariamentepublicado no livro Carteiro Imaterial. Editora José Olympio, Rio de Janeiro. Lido por pensadores e escritores modernos, o filósofo romeno é conhecido por suas ideias sobre a morte, o desespero e o vazio. Mas como bem definiu Susan Sontag, o seu filosofar era “pessoal,… Continue lendo “Da dissolução” – Marco LUCCHESI

Ceticismo, Hamletismo, Diletantismo e Lucidez: o (des)pudor do “É”

https://www.youtube.com/watch?v=4pARcHxo5Aw Cioran faz o elogio do hamletismo e do diletantismo, atitudes percebidas positivamente como signos de sabedoria, de certa arte de viver. A conclusão da lucidez praticada e comunicada por Cioran, a partir de suas nuits blanches, é o hamletismo e o diletantismo como sabedoria. "Não operamos no É", sentencia o filósofo romeno.