“Biblioteca Nacional homenageia Daniel Silveira e outros misólogos bolsonaristas” | Portal E. M. Cioran News

Misologia (subst. fem.): ódio ao pensamento, ao saber; aversão e inaptidão à atividade racional, lógico-argumentativa, dialética. O termo remonta ao Fédon, diálogo de Platão que tematiza as últimas horas de Sócrates, antes de sua execução. A Biblioteca Nacional homenagear Daniel Silveira e outros bolsonaristas é como a Igreja Católica homenagear ateus — se não o… Continue lendo “Biblioteca Nacional homenageia Daniel Silveira e outros misólogos bolsonaristas” | Portal E. M. Cioran News

“«O Livro das Ilusões», de Cioran, lido por Mihail Sebastian: o estranho caso do «convalescente que aspira à doença»” – Rodrigo MENEZES

De suas primeiras obras, ainda mal conhecidas entre nós, sublinho O livro das ilusões (Cartea amăgirilor), a que daria o subtítulo de um de seus capítulos: Mozart e a melancolia dos anjos. Considero aquelas páginas uma fantasia para cordas, como se fosse o primo consanguíneo de A origem da tragédia, nas grandes linhas melódicas que unem e separam as… Continue lendo “«O Livro das Ilusões», de Cioran, lido por Mihail Sebastian: o estranho caso do «convalescente que aspira à doença»” – Rodrigo MENEZES

“Babele și diavolul: aforisme împotriva somnambulismului istoriei” – Rodrigo MENEZES

ARCA - Revistă lunară de literatură, eseu, arte vizuale, muzică, 2/2022 Dacă fiecare ar fi „înțeles”, istoria ar fi încetat de multă vreme. Numai că sîntem cu desăvîrșire, sîntem biologic inapți "să înțelegem" . Și chiar dacă ar fi înțeles toți, în afară de unul, istoria s-ar perpetua, din pricina lui, din cauza încăpățînării lui. Din pricina unei… Continue lendo “Babele și diavolul: aforisme împotriva somnambulismului istoriei” – Rodrigo MENEZES

“A sombra do amado”: a poesia mística de Rūmī

Morrei, morrei, de tanto amor morrei,morrei, morrei de amor e vivereis.Morrei, morrei, e não temais a morte,voai, voai bem longe, além das nuvens.Morrei, morrei, nesta carne morrei,é mero laço, a carne que vos prende!#Vamos, quebrai, quebrai esta prisão!Sereis de pronto príncipes e emires!Morrei, morrei aos pés do Soberano:e assim sereis ministros e sultões!Morrei, morrei, deixai… Continue lendo “A sombra do amado”: a poesia mística de Rūmī

O poema “Vésper” de Eminescu – Marco LUCCHESI

Academia Brasileira de Letras, s/d. Originalmente publicado em Revista Ricerca Z , nº1  (Itália) Ouvi na Romênia um adágio que dizia “a casa que morei em criança hoje me habita”. E de pronto lembrei-me do poema de Jorge Cooper, que dizia melhor “a casa em que morei quando menino hoje em dia mora em mim”.… Continue lendo O poema “Vésper” de Eminescu – Marco LUCCHESI

“Cioran: da Solidão” – Ana Maria HADDAD BAPTISTA

"Cioran é um dos poucos filósofos que consegue atravessar, com tranquilidade, o sentido mais profundo da vida. Para ele fama e ser conhecido, contrariamente à maioria do que pensam as pessoas, é uma verdadeira desgraça. Ele nunca esconde tais posições. [...] é atualíssimo e mais do que isso: uma leitura obrigatória para quem busca um… Continue lendo “Cioran: da Solidão” – Ana Maria HADDAD BAPTISTA

“Ion Barbu, um novo tipo de matéria poética, uma nova forma de epistemologia”: entrevista de Marco Lucchesi a Ciprian Vălcan

Todo poeta apresenta uma dificuldade especial, tem uma voz que não pode ser traduzida. Como você bem sabe, a missão do tradutor é uma impossibilidade kantiana. Tentamos dar o nosso melhor, mas é claro que é apenas uma forma de não perder tudo. É um naufrágio que é a nossa loucura, a de tentar traduzir… Continue lendo “Ion Barbu, um novo tipo de matéria poética, uma nova forma de epistemologia”: entrevista de Marco Lucchesi a Ciprian Vălcan

“Leopardi, poeta do infinito” – Marco LUCCHESI

Psiquiatria & Saúde Mental, USP, n. 43, 1999 I – DIAS FUTUROS “Cada objeto amado é o centro de um paraíso” (Novalis, Pólen, frag. 50).“A quantidade de ensaios crítico sem torno da obra de Giacomo Leopardi só pode ser equiparada com o renovado entusiasmo de seus leitores. Leopardi não é um homem de letras, mas… Continue lendo “Leopardi, poeta do infinito” – Marco LUCCHESI

“Da dissolução” – Marco LUCCHESI

Revista Filosofia - Ciência & Vida, n. 161, abril 2020. Texto originariamente publicado no livro Carteiro Imaterial. Editora José Olympio, Rio de Janeiro. Lido por pensadores e escritores modernos, o filósofo romeno é conhecido por suas ideias sobre a morte, o desespero e o vazio. Mas como bem definiu Susan Sontag, o seu filosofar era… Continue lendo “Da dissolução” – Marco LUCCHESI

“A filosofia ao alcance dos centauros” – Ciprian VĂLCAN

REVISTA BRASILEIRA, fase VIII, outubro/novembro 2014, ano III, no. 81, p. 91-104. Aqueles que procuram, nos dias de hoje, defender a importância da Filosofia parecem, já de início, destinados à derrota. Nenhuma das antigas virtudes que animavam os amantes da sabedoria parece servir de referência para apoiar tais excêntricas preocupações. A morte dos ideais foi… Continue lendo “A filosofia ao alcance dos centauros” – Ciprian VĂLCAN