“Horkheimer entre Marx e Schopenhauer: do materialismo pessimista ao pessimismo materialista” – Eder CORBANEZI

Trans/Form/Ação, Marília, v. 40, n. 4, p. 111-132, Out./Dez., 2017 RESUMO: Partindo de avaliações retrospectivas de Horkheimer sobre seu percurso intelectual, procuramos mostrar que tanto Schopenhauer quanto Marx constituem uma influência permanente na obra do fundador da teoria crítica: com efeito, a maior evidência de um dos dois autores em certo momento da trajetória de… Continue lendo “Horkheimer entre Marx e Schopenhauer: do materialismo pessimista ao pessimismo materialista” – Eder CORBANEZI

Publicidade

“History is dis-evangelic, history is bad news” – Peter SLOTERDIJK

The effect of being ruined by an unprovable and inviolable inheritance is extraordinarily ironic. We must remember that European historicism first began as an optimistic enterprise of appropriating humanity’s entire past as our prehistory. The heroic optimism of total historical appropriation is primarily linked to the works of Hegel and Marx: Hegel attempted to reclaim… Continue lendo “History is dis-evangelic, history is bad news” – Peter SLOTERDIJK

“O terrorismo de Estado” – CAMUS

Todas as revoluções modernas resultaram num fortalecimento do Estado. 1789 traz Napoleão; 1848, Napoleão III; 1917, Stalin; os distúrbios italianos da década de 1920, Mussolini; a república de Weimar, Hitler. Essas revoluções, sobretudo depois que a Primeira Guerra Mundial liquidou os vestígios do direito divino, propuseram, entretanto, com uma audácia cada vez maior, a construção… Continue lendo “O terrorismo de Estado” – CAMUS

“An Essay On Reactionary Thought”: De Maistre’s divine providentialism vs. Cioran’s atheodicy

Justification by Providence is the quixotism of theology.The adjective satanic, which [De Maistre] applied to the French Revolution he might just as well have extended to all events [...] especially the most important one: the Creation.E. M. CIORAN “Nothing is where it belongs”: the refrain of all emigrations, and also the point of departure for… Continue lendo “An Essay On Reactionary Thought”: De Maistre’s divine providentialism vs. Cioran’s atheodicy

Burnout: The truth about overwork and what we can do about it | DW Documentary

Why do we work, and why are we working more than ever? Overwork is damaging our lives and the planet. This film takes a look at the past and also asks how we can change the future of work. Why do we feel pressure to be busy, and where did this pressure come from? Some… Continue lendo Burnout: The truth about overwork and what we can do about it | DW Documentary

“Ensaio sobre o pensamento reacionário”: De Maistre e a ateodicéia gnóstica de Cioran

O problema do mal só perturba realmente alguns delicados, alguns céticos, revoltados pela maneira como o crente se conforma com ele ou o escamoteia. É para esses então que, em primeiro lugar, se dirigem as teodiceias, tentativas de humanizar Deus, acrobacias desesperadas que fracassam e se comprometem no seu próprio terreno, desmentidas a cada instante… Continue lendo “Ensaio sobre o pensamento reacionário”: De Maistre e a ateodicéia gnóstica de Cioran

“Living without belief or unbelief” – John GRAY

The God of monotheism did not die, it only left the scene for a while in order to reappear as humanity – the human species dressed up as a collective agent, pursuing its self-realization in history. But, like the God of monotheism, humanity is a work of the imagination. The only observable reality is the… Continue lendo “Living without belief or unbelief” – John GRAY

“Viver sem crença nem descrença” – John GRAY

O Deus do monoteísmo não morreu, apenas saiu de cena por algum tempo para reaparecer como humanidade — a espécie humana caracterizada como agente coletivo em busca da autorrealização na história. Entretanto, assim como o Deus do monoteísmo, a humanidade é obra da imaginação. A única realidade suscetível de ser observada é o animal humano… Continue lendo “Viver sem crença nem descrença” – John GRAY

“Progress, the moth-eaten musical brocade” – John GRAY

A great American poet, John Ashbery, wrote that tomorrow is easy, but today is uncharted. He put his finger on our real weakness. It is not our ignorance of the future which is incurable. It is our failure to understand the present. Our view of the present time is overlaid with after-images from the recent… Continue lendo “Progress, the moth-eaten musical brocade” – John GRAY

“A História é des-evangélica” – Peter SLOTERDIJK

Devemos lembrar que o historicismo europeu começou como um empreendimento otimista de apropriação de todo o passado da humanidade como sendo a nossa pré-história. O otimismo heróico da apropriação histórica total está principalmente ligado às obras de Hegel e Marx. Hegel tentou reivindicar o passado total de todos os seres humanos pensantes como a propriedade… Continue lendo “A História é des-evangélica” – Peter SLOTERDIJK