“O Marquês de Sade e a sombria divindade da Natureza” – John GRAY

"Arrogante, colérico, irascível, em tudo radical, com uma imaginação dissoluta como nunca se viu, ateu até o fanatismo, em suma este sou eu, e que me aceitem como sou, pois não mudarei."' Essa autodescrição fornece um perfil admiravelmente preciso do marquês de Sade. Eternamente associado à crueldade — a expressão "sadismo" foi cunhada no fim… Continue lendo “O Marquês de Sade e a sombria divindade da Natureza” – John GRAY

“Genealogia do antissemita na Dialética do Esclarecimento” – Rodrigo DUARTE

De fato — e aqui chega-se à sétima e última divisão do texto, sobre “a mentalidade do ticket” — o processo de produção artificial de uma virtual unanimidade é muito semelhante no braço totalitário e no braço “democrático” do capitalismo tardio. Quanto ao primeiro, os autores indicam que não é preciso ser um anti-semita convicto… Continue lendo “Genealogia do antissemita na Dialética do Esclarecimento” – Rodrigo DUARTE

“A escola de Schopenhauer em seus sentidos lato e estrito: entre apóstolos, evangelistas, metafísicos, heréticos, os pais da igreja e as mulheres” – Felipe DURANTE

Sofia (UFES), vol. 6, n. 1 (2017): Dossiê Ética e Política RESUMO: Este artigo tem por objetivo apresentar o trabalho de recuperação e sistematização histórico-crítica da recepção e dos desdobramentos da filosofia schopenhaueriana na história dafilosofia. Tal empreitada foi levada a cabo pelo Centro interdipartimentale di ricerca su Arthur Schopenhauer e la sua scuola dell'Università… Continue lendo “A escola de Schopenhauer em seus sentidos lato e estrito: entre apóstolos, evangelistas, metafísicos, heréticos, os pais da igreja e as mulheres” – Felipe DURANTE

“Schopenhauer, Horkheimer e o sofrimento social” – Vilmar DEBONA

https://www.youtube.com/watch?v=vXfUPZ5mC_M Há atualmente um debate interdisciplinar profícuo sobre a noção de sofrimento social. Pensadores e pensadoras como Barrington Moore, Emmanuel Renault e Rahel Jaeggi partem direta ou indiretamente do seguinte pressuposto: sofrimento social difere-se de sofrimento individual na medida em que suas causas não são naturais (velhice, doença, catástrofes naturais), mas resultam do agir humano;… Continue lendo “Schopenhauer, Horkheimer e o sofrimento social” – Vilmar DEBONA

“Sobre a gênese da burrice” – ADORNO & HORKHEIMER

O SÍMBOLO DA INTELIGÊNCIA é a antena do caracol “com a visão tacteante”, graças à qual, a acreditar em Méfistófeles, ele é também capaz de cheirar. Diante de um obstáculo, a antena é imediatamente retirada para o abrigo protector do corpo, ela se identifica de novo com o todo e só muito hesitantemente ousará sair… Continue lendo “Sobre a gênese da burrice” – ADORNO & HORKHEIMER