“Cioran, timpul şi scepticismul” – Mircea LĂZĂRESCU

Simpozion International Cioran, Sibiu-Răşinari, 16-18 mai 2013 Textele lui Cioran sunt greu încadrabile într-o categorie literară sau teoretică. Cultivând eseul, fragmentul, aforismul, maxima, opera lui Cioran exprimă în acelaşi timp un mesaj ideatic coerent, semnificativ pentru sfârşitul modernităţii occidentale. Tematica sa, invocând paradisul şi căderea omului în istorie, pare stranie în secolul XX, amintind cu… Continue lendo “Cioran, timpul şi scepticismul” – Mircea LĂZĂRESCU

Cioran e a arte de não fazer nada (Mircea Lăzărescu)

Homens de Letras escrevem romances ou poesia. Os músicos se ocupam da música. Os pintores, da pintura. Neste mundo, a única coisa que restou ao seu alcance, tendo em vista a concepção de vida que ele se criou, era não fazer nada. E foi isto o que ele fez. Não fez nada. Ou seja, após… Continue lendo Cioran e a arte de não fazer nada (Mircea Lăzărescu)

“Um ‘ismo’ ocioso: a crítica de Michael Allen Williams ao conceito de gnosticismo” – Rodrigo MENEZES

Em Rethinking Gnosticism: An Argument for Dismantling a Dubious Category [Repensando o Gnosticismo: Um Argumento para Desmantelar uma Categoria Duvidosa] (1999), Michael Allen Williams argumenta que o termo “gnosticismo” se tornou, no discurso moderno, “um rótulo tão proteiforme que perdeu qualquer sentido confiável e identificável pelo grande público leitor”.[i] Mais ou menos como “niilismo”: de… Continue lendo “Um ‘ismo’ ocioso: a crítica de Michael Allen Williams ao conceito de gnosticismo” – Rodrigo MENEZES

Um místico sem absoluto: “Cioran, l’hérétique”, de Patrice Bollon – Rodrigo Menezes

A biografia crítica de Patrice Bollon, Cioran, l’hérétique (1997) não acrescenta muita coisa, no que concerne ao tema da religião e da mística, em relação ao ensaio de Jaudeau (1990) – antes reitera o que já havia sido intuído e apontado pela antecessora (por exemplo, que se trata de um gnóstico sem deus e sem… Continue lendo Um místico sem absoluto: “Cioran, l’hérétique”, de Patrice Bollon – Rodrigo Menezes

“Um pensamento religioso heterodoxo” – Rodrigo MENEZES

Eu não gostaria de viver em um mundo esvaziado de todo sentimento religioso. Eu não penso na fé, mas nessa vibração interior que, independente de qualquer crença, vos projeta em Deus, e às vezes acima.Écartèlement (1979) Clément Rosset e Fernando Savater estão de acordo sobre Cioran em ao menos um ponto. Segundo Rosset, o amigo… Continue lendo “Um pensamento religioso heterodoxo” – Rodrigo MENEZES

“Indirect death: ennui and void” (Mircea Lăzărescu)

Romanian Journal of Artistic Creativity, New York, Summer 2015, vol III, no. 2 (10). The questions that Emil Cioran asks time and again could be phrased like: What was God doing before creating the world, time and man? What does God do when he leaves man all alone in the world? What does God do… Continue lendo “Indirect death: ennui and void” (Mircea Lăzărescu)

“Cioran passando na alfândega do céu. Sainete em um ato” (Mircea Lăzărescu)

A ALMA DE CIORAN chega a uma das passagens de um mundo ao outro. A instância é completada e o guardião começa a ser o seu dossiê: — Durante toda sua vida, este senhor aqui presente sustentou ardentemente, em textos publicados em romeno e em francês, que: A vida é uma tortura insuportável, de onde… Continue lendo “Cioran passando na alfândega do céu. Sainete em um ato” (Mircea Lăzărescu)

À la porte du paradis: les carnets de Roland Jaccard

Causeur.fr, 05 avril 2015 1. L’âme de Cioran Dans un essai au titre alléchant, Souffrance, extase et haute folie pendant le XXe siècle, d’un psychiatre roumain, Mircea Lazarescu, je m’attarde sur le passage où l’âme de Cioran est soumise à un interrogatoire serré de la part d’un Grand Inquisiteur qui lui présente son dossier à la… Continue lendo À la porte du paradis: les carnets de Roland Jaccard

“Cioran: sofrimento, êxtase e alta loucura no século XX” (prefácio) – Mircea Lăzărescu

Há toda uma fascinação que a vida e o pensamento de um criador admirado exercem sobre nós. E quando se é psiquiatra, como Mircea Lăzărescu, a tentação de descer até as profundezas de um espírito furioso conduzido à escrita de um diário a meio caminho entre o si [soi] e o outro, entre a escrita… Continue lendo “Cioran: sofrimento, êxtase e alta loucura no século XX” (prefácio) – Mircea Lăzărescu