Há Metafísica Bastante Em Não Pensar Em Nada – Fernando PESSOA

Poesia e poema de autor português. Fernando António Nogueira Pessoa (1888 — 1935) foi um poeta, filósofo, dramaturgo, ensaísta, tradutor, publicitário, astrólogo, inventor, empresário, correspondente comercial, crítico literário e comentarista político português. Um dos maiores génios poéticos de toda a nossa Literatura e um dos poucos escritores portugueses mundialmente conhecidos. A sua poesia acabou por… Continue lendo Há Metafísica Bastante Em Não Pensar Em Nada – Fernando PESSOA

“A religião dinâmica” – Henri BERGSON

Lancemos um olhar retrospectivo sobre a vida, cujo desenvolvimento acompanhamos noutra ocasião até o ponto em que a religião dela devia sair. Grande fluxo de energia criadora lança-se na matéria para obter dela o que pode. Na maior parte dos pontos ele se deteve; essas pausas se traduzem ao nosso ver por outros tantos aparecimentos… Continue lendo “A religião dinâmica” – Henri BERGSON

“Um homem realizado” – CIORAN

Ao indivíduo acostumado ao íntimo das profundidades, o "mistério" não intimida; não fala dele e não sabe o que seja: vive-o... A realidade em que se move não comporta outra: não tem uma zona inferior nem um além: está abaixo de tudo e para além de tudo. Farto de transcendência, superior às operações do espírito… Continue lendo “Um homem realizado” – CIORAN

Razne: “Que significa ser cético? / Ce înseamnă a fi sceptic?” (Emil Cioran)

Que significa ser cético? Não crer-te o centro do universo. Basta, porém, um momento de distração, um instante de fragilidade na consciência, para que nos reinstalemos de imediato no mais antigo e vital dos erros. Todo homem -- em seus momentos de não lucidez, o que equivale a dizer a quase totalidade da sucessão temporal… Continue lendo Razne: “Que significa ser cético? / Ce înseamnă a fi sceptic?” (Emil Cioran)

“En las margenes del ser (a propósito de Liliana Herrera)” (Alfredo Abad)

De su presencia perdida se pueden evocar recuerdos y sentidos que no la alcanzan, no la suplen. Sin embargo, se lucha también por contradecir esta condición, porque de quienes desaparecen se conservan justamente sus rasgos, sus particularidades, rememorándolos y accediendo a su legado. Ambigua experiencia. Sí, y no hubiese sido tan ajena a la singular… Continue lendo “En las margenes del ser (a propósito de Liliana Herrera)” (Alfredo Abad)

Sobre Revelação e Revolução, religiões utópicas e utopias políticas (E.M. Cioran)

Muitas vezes o reacionário é apenas um sábio habilidoso, um sábio interesseiro que, explorando politicamente as grandes verdades metafísicas, vasculha sem fraqueza nem piedade os segredos do fenômeno humano, para revelar seu horror. Um aproveitador do terrível, cujo pensamento -- coagulado pelo cálculo ou pelo excesso de lucidez -- minimiza ou calunia o tempo. Mais… Continue lendo Sobre Revelação e Revolução, religiões utópicas e utopias políticas (E.M. Cioran)

Café filosófico: “As vertigens da razão e o mistério da fé. Kierkegaard e Pascal” – Franklin LEOPOLDO E SILVA

https://www.youtube.com/watch?v=S8j7ojLpZNI Pascal e Kierkegaard, que viveram tempos muito distintos da história da Europa, partilhavam a experiência radical de uma razão que, em seus desdobramentos, atinge enfim seus limites, seus abismos, e não se detém em suas bordas, mas neles se precipita corajosamente. A aposta de Pascal e a ironia de Kierkegaard não são apenas criações… Continue lendo Café filosófico: “As vertigens da razão e o mistério da fé. Kierkegaard e Pascal” – Franklin LEOPOLDO E SILVA

“Variações sobre a morte” – CIORAN

I – É porque ela não repousa sobre nada, porque carece até mesmo da sombra de um argumento que perseveramos na vida. A morte é demasiado exata; todas as razões encontram-se de seu lado. Misteriosa para nossos instintos, delineia-se, ante nossa reflexão, límpida, sem prestígios e sem os falsos atrativos do desconhecido.De tanto acumular mistérios… Continue lendo “Variações sobre a morte” – CIORAN