“Precisamos falar sobre o textĂŁo”: entrevista com Alexandre Soares CARNEIRO (UNICAMP)

O plural implĂ­cito de “se” e o plural confessado do “nĂłs” constituem o refĂșgio confortĂĄvel da existĂȘncia falsa. SĂł o poeta assume a responsabilidade do “eu”, sĂł ele fala em seu prĂłprio nome, sĂł ele tem o direito de fazĂȘ-lo. A poesia se degrada quando torna-se permeĂĄvel Ă  profecia ou Ă  doutrina: a “missĂŁo” sufoca… Continue lendo “Precisamos falar sobre o textĂŁo”: entrevista com Alexandre Soares CARNEIRO (UNICAMP)

Publicidade

“Cincelador de cenotafios” – Octavio PAZ

Revista Vuelta, MĂ©xico, nÂș 224, julio 1995 La muerte de Emil Cioran no me ha sorprendido: desde hacia mĂĄs de un aflo estaba gravemente enfermo y su enfermedad era incurable. Pero la noticia me ha entristecido profundamente: la muerte, la esperada siempre, la puntual, es siempre inesperada. ConocĂ­ a Cioran cuando acababa de publicar su… Continue lendo “Cincelador de cenotafios” – Octavio PAZ

“Kierkegaard antimoderno, ou para uma tipologia (alternativa) da posição sociopolĂ­tica kierkegaardiana” – Gabriel Guedes ROSSATTI

Cadernos de Filosofia AlemĂŁ, USP, v. 20, n. 1, 2015, pp. 163-178 Resumo: Kierkegaard, nĂŁo obstante ser geralmente reconhecido como um dos mais importantes pensadores do sĂ©culo XIX, ainda hoje sofre de interpretaçÔes muitas vezes distorcidas, tanto Ă© que seu pensamento sociopolĂ­tico, mais especificamente, parece padecer bastante nas mĂŁos de seus intĂ©rpretes, os quais muitas… Continue lendo “Kierkegaard antimoderno, ou para uma tipologia (alternativa) da posição sociopolĂ­tica kierkegaardiana” – Gabriel Guedes ROSSATTI

“Nihilismo y naturaleza” – CIORAN

EmpecĂ© a dudar de mi «futuro» al comprender que ya no podĂ­a vivir sin la naturaleza. Porque entre ĂĄrboles y flores puedes batallar contra Dios, mas difĂ­cilmente podrĂ­a interesarte ya un solo hombre. No es que la naturaleza sea la fuente de la misantropĂ­a, pero ella ahonda en nosotros ese asco por los hombres que… Continue lendo “Nihilismo y naturaleza” – CIORAN

“Emil Cioran y Albert Cossery, entre el dolor y la alegrĂ­a de existir”: entrevista a BelĂ©n Nava VALDÉS | UAEMĂ©x đŸ‡ČđŸ‡œ

BelĂ©n Nava ValdĂ©s es licenciada en FilosofĂ­a y AntropologĂ­a Social por la Universidad AutĂłnoma del Estado MĂ©xico (UAEMĂ©x). Es profesora de asignatura en el Instituto PolitĂ©cnico Nacional (IPN). Candidata a Maestra en Ética Social en la Facultad de Humanidades por la UAEMÉX. Autora y colaboradora de diversos publicados en MĂ©xico y en el extranjero. Ponente… Continue lendo “Emil Cioran y Albert Cossery, entre el dolor y la alegrĂ­a de existir”: entrevista a BelĂ©n Nava VALDÉS | UAEMĂ©x đŸ‡ČđŸ‡œ

“Moral como antinatureza” – NIETZSCHE

Todas as paixĂ”es tĂȘm um perĂ­odo em que sĂŁo meramente funestas, em que levam para baixo suas vĂ­timas com o peso da estupidez — e um perĂ­odo posterior, bem posterior, em que se casam com o espĂ­rito, se “espiritualizam”. Antes, devido Ă  estupidez na paixĂŁo, fazia-se guerra Ă  paixĂŁo mesma: conspirava-se para aniquilĂĄ-la — todos… Continue lendo “Moral como antinatureza” – NIETZSCHE

“Ne te quaesiveris extra: Bloom, Cioran e a autodependĂȘncia” – Rodrigo Menezes

Apenas dura aquilo que foi concebido na solidĂŁo, diante de Deus, quer sejamos crentes quer nĂŁo.CIORAN, Do inconveniente de ter nascido, p. 54. Crer em Deus nos dispensa de crer em qualquer outra coisa – o que Ă© uma vantagem inestimĂĄvel. Sempre invejei os que creem nele, ainda que crer-se Deus me pareça mais fĂĄcil do… Continue lendo “Ne te quaesiveris extra: Bloom, Cioran e a autodependĂȘncia” – Rodrigo Menezes

“O voluptuoso, o insolĂșvel: Liliana Herrera e a paixĂŁo-Cioran” – Rodrigo MENEZES

Hegel Ă© meu exato oposto. Hegel Ă© impensĂĄvel para mim, por mais que eu reconheça sua importĂąncia. Mas isso Ă© outra estĂłria. Tenho um amigo na RomĂȘnia, um especialista no pensamento de Hegel [Constantin Noica], que nĂŁo consegue ler minhas coisas, que nĂŁo me leva a sĂ©rio. NĂŁo obstante, muito embora tivesse uma mentalidade totalmente… Continue lendo “O voluptuoso, o insolĂșvel: Liliana Herrera e a paixĂŁo-Cioran” – Rodrigo MENEZES

“No segredo dos moralistas” – E.M. CIORAN

Quando enchemos todo o universo de tristeza, sĂł nos resta, para reavivar o espĂ­rito, a alegria, a rara, a fulgurante alegria; e Ă© quando jĂĄ nĂŁo esperamos mais que sofremos a fascinação da esperança: a Vida, presente oferecido aos vivos pelos obcecados da morte
 Como a direção de nossos pensamentos nĂŁo Ă© a de nossos… Continue lendo “No segredo dos moralistas” – E.M. CIORAN

ReflexÔes sobre a vaidade dos homens, ou discursos moraes sobre os effeitos da vaidade (Matias Aires)

Matias Aires Ramos da Silva de Eça (SĂŁo Paulo, 27 de março de 1705 — Lisboa, 10 de dezembro de 1763) foi um filĂłsofo e escritor luso-brasileiro. É patrono da cadeira 6 da Academia Brasileira de Letras. IrmĂŁo de Teresa Margarida da Silva e Orta, considerada a primeira mulher romancista em lĂ­ngua portuguesa. Escreveu obras… Continue lendo ReflexĂ”es sobre a vaidade dos homens, ou discursos moraes sobre os effeitos da vaidade (Matias Aires)