La muerte en Cioran: un enfoque desde la tanatología – Javier Jaimes Cienfuegos | UAEMex 🇲🇽

La muerte plantea un problema que sustituye a todos los demás. ¿Hay algo más funesto para la filosofía, para esa ingenua creencia en la jerarquía de las perplejidades?Silogismos de la amargura https://www.youtube.com/watch?v=57jdceTyqp4&t=1031s Javier Jaimes Cienfuegos es Doctor en Humanidades, Maestro en terapia cognitivo conductual y Maestro en Humanidades: Filosofía Contemporánea. Licenciado en Neuropsicología y en… Continue lendo La muerte en Cioran: un enfoque desde la tanatología – Javier Jaimes Cienfuegos | UAEMex ðŸ‡²ðŸ‡½

“À tumba de Cioran” – Liliana Herrera

O guarda se equivocou ao dar a orientação da tumba de Cioran, dizendo "dez ao norte, cinco ao leste", porque na divisão do número 13 é preciso contar pelo menos dezoito tumbas ao norte, e nove ao leste, para encontrar a do filósofo. Pode-se ver então uma lápide cinza, limpa e brilhante, na qual estão… Continue lendo “À tumba de Cioran” – Liliana Herrera

Sepultador de Ilusões: Osmair Cândido em Conversações Filosóficas

Assim que entramos num cemitério, um sentimento de completa irrisão afasta qualquer preocupação metafísica. Os que procuram «mistério» em todo o lado não vão necessariamente até ao fundo das coisas. O mais frequente é o «mistério», tal como o «absoluto», corresponder apenas a um tique do espírito. É uma palavra a que só devíamos recorrer… Continue lendo Sepultador de Ilusões: Osmair Cândido em Conversações Filosóficas

OSMAIR CÂNDIDO: a história do Coveiro Filósofo

Revista Piauí, 18 de junho de 2021 Sepultador narra de que forma a filosofia alemã o ajuda a enfrentar os horrores da pandemia, como tirar o caixão de um filho das mãos da mãe ou enterrar doze pessoas no mesmo dia Osmair Cândido, 60, é coveiro há mais de quarenta anos. Conhecido como Fininho por… Continue lendo OSMAIR CÂNDIDO: a história do Coveiro Filósofo

“Por uma espiritualidade do morrer: viver a passagem na ótica de Jean-Yves Leloup” (Adriana Viccini Brega Quinet de Andrade)

Dissertação de mestrado em Ciência da Religião, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), 2016. Orientação: Faustino Luiz Couto Teixeira. [PDF] Resumo: O pano de fundo dessa pesquisa é a questão da finitude e da morte como um dos grandes problemas existenciais da humanidade. O fio condutor é a questão da espiritualidade. Sob a ótica… Continue lendo “Por uma espiritualidade do morrer: viver a passagem na ótica de Jean-Yves Leloup” (Adriana Viccini Brega Quinet de Andrade)

“Filosofia indumentária” (E.M. Cioran)

Com que ternura e com que inveja se voltam meus pensamentos para os monges do deserto e para os cínicos! Abjeção de dispor do menor objeto: esta mesa, esta cama, estas roupas… O traje interpõe-se entre nós e o nada. Olhe seu corpo em um espelho: compreenderá que é mortal; passe seus dedos sobre as… Continue lendo “Filosofia indumentária” (E.M. Cioran)

Envelhecimento, finitude, morte (Maria Homem)

https://www.youtube.com/watch?v=cgdspaWuExM A morte é o horizonte do envelhecer e não o envelhecer em si. Maria Homem aborda esse tema tão delicado e que precisa de discussão.

Refutações Paradoxais do Suicídio – E.M. CIORAN

"Por que eu não me suicido? Porque a morte me enoja tanto quanto a vida."  (Nos cumes do desespero) Se o sofrimento não fosse um instrumento de conhecimento, o suicídio seria obrigatório. E a vida mesma -- com sua dolorosa inutilidade, sua obscura bestialidade, que nos arrasta aos erros para nos pendurar, de vez em… Continue lendo Refutações Paradoxais do Suicídio – E.M. CIORAN

“En las margenes del ser (a propósito de Liliana Herrera)” (Alfredo Abad)

De su presencia perdida se pueden evocar recuerdos y sentidos que no la alcanzan, no la suplen. Sin embargo, se lucha también por contradecir esta condición, porque de quienes desaparecen se conservan justamente sus rasgos, sus particularidades, rememorándolos y accediendo a su legado. Ambigua experiencia. Sí, y no hubiese sido tan ajena a la singular… Continue lendo “En las margenes del ser (a propósito de Liliana Herrera)” (Alfredo Abad)

“O pensamento da morte” (Nietzsche)

EM MIM me produz uma melancólica felicidade viver nessa profusão de vielas, de necessidades, de vozes: quanta fruição, quanta impaciência e cobiça, quanta sede e embriaguez de vida não se manifestam aí a cada instante! Mas logo haverá tanto silêncio para todos esses viventes ruidosos e sequiosos de vida! Como atrás de cada um está… Continue lendo “O pensamento da morte” (Nietzsche)