“O suicida: um viajante kafkiano” – Julio CABRERA

As condenações morais do suicídio – desde a de Schopenhauer, que o considera ilusão, até Wittgenstein, que o considera “o máximo pecado moral” – são lugares filosóficos muito estratégicos para aprender os mecanismos de constituição das Éticas afirmativas. [...] A abordagem kantiana do suicídio é extremamente pobre, do ponto de vista psicológico, como a totalidade… Continue lendo “O suicida: um viajante kafkiano” – Julio CABRERA