“Um exílio melancólico: Cioran, Pessoa e a nostalgia” – Paolo VANINI | Università di Trento 🇮🇹

https://www.youtube.com/watch?v=e_sMR4V46xM Texto apresentado no âmbito do Colóquio Internacional Liliana Herrera em torno de Cioran (15/10/2021). Um exílio melancólico: Cioran, Pessoa e a nostalgia[1], de Paolo Vanini[2] Resumo: Este artigo visa investigar a relação entre nostalgia, solidão e ceticismo no pensamento de Emil Cioran. Em primeiro lugar, examinaremos como os conceitos de Sehnsucht, Saudade e Dor… Continue lendo “Um exílio melancólico: Cioran, Pessoa e a nostalgia” – Paolo VANINI | Università di Trento ðŸ‡®ðŸ‡¹

“Nostalgia”, de Mircea Cărtărescu, em língua japonesa

Foi recentemente publicado no Japão, graças ao notável tradutor Sumiya Haruya, Nostalgia, romance do escritor romeno Mircea Cărtărescu. Sumiya Haruya nasceu em 1931, na província de Gunma, em uma família de criadores de bicho-da-seda. Em 1953, graduou-se na Faculdade de Língua e Literatura Francesa da Universidade de Tóquio. Desde os anos 1970, Sumiya Haruya tem… Continue lendo “Nostalgia”, de Mircea Cărtărescu, em língua japonesa

“A lição da nostalgia: a invenção de uma doença” – Jean STAROBINSKI

A história dos sentimentos e das “mentalidades” levanta uma questão de método, que tem a ver com a relação entre os sentimentos e a linguagem. Os sentimentos cuja história queremos retraçar só nos são acessíveis a partir do momento em que se manifestaram, verbalmente ou por qualquer outro meio expressivo. Para o crítico, para o… Continue lendo “A lição da nostalgia: a invenção de uma doença” – Jean STAROBINSKI

“Emil Michel Cioran: El Drama de la Caída en el Tiempo (la nostalgia del paraíso perdido)” – José Luis Álvarez LOPEZTELLO

¿No habéis advertido una imagen de pureza en la mirada sin percepción, en la mirada que refleja y refracta, una imagen purificada de objetos? ¿No os habéis fijado nunca en la mirada de los patitos y habéis visto unos ojos donde el cielo es cielo, el agua agua y la hoja hoja? El cielo ha… Continue lendo “Emil Michel Cioran: El Drama de la Caída en el Tiempo (la nostalgia del paraíso perdido)” – José Luis Álvarez LOPEZTELLO

Heresia existencial e outros temas, a propósito de Cioran: Tertúlia com José Luis Álvarez LOPEZTELLO

Tem mais festa para o pessimista neste mês de abril, em que se celebra o natalício de 110 anos de Emil Cioran. No dia do seu nascimento, 8 de abril, recebemos, no canal YT do Portal E.M. Cioran Brasil, o prof. Leobardo Villegas, da Universidad Autónoma de Zacatecas (Mex), para uma live tertúlia sobre um… Continue lendo Heresia existencial e outros temas, a propósito de Cioran: Tertúlia com José Luis Álvarez LOPEZTELLO

FALL FROM PARADISE: Story of a Sleepless Man Adrift in the Dark Night of the Soul

https://www.youtube.com/watch?v=2gulQ7MIocU A short illustrated story about the trials and tribulations of a sleepless man fallen from Paradise and into the burden of time. No monetizing or commercial purposes whatsoever. A Le Dilettante / Portal E.M. Cioran Brasil production. For educational purposes only. "I haven't written with my blood, I've written with all the tears I… Continue lendo FALL FROM PARADISE: Story of a Sleepless Man Adrift in the Dark Night of the Soul

“A melancholic exile: Emil Cioran and the feeling of nostalgia” (Paolo Vanini)

Abstract: This article aims to investigate the relationship between nostalgia, solitude, and skepticism in Emil Cioran’s thought. In the first place, we will examine how the concepts of Sehnsucht, saudade and dor are interpreted by Cioran as similar forms of radical nostalgia. In the second place, we will see how the skeptical attitude of doubting… Continue lendo “A melancholic exile: Emil Cioran and the feeling of nostalgia” (Paolo Vanini)

“O mundo tem de recomeçar” (Emil Cioran)

ALGUÉM terá de sair um dia sob o sol e gritar para seu esplendor e para as trevas dos homens: “O mundo tem de recomeçar, o mundo tem de recomeçar!” Será necessário encontrar um emissário de um mundo novo que assuma todos os riscos da grande nova, que se esgote gritando em todas as direções… Continue lendo “O mundo tem de recomeçar” (Emil Cioran)

O Diabo, filantropo funesto (E.M. Cioran)

PLANEJAR uma sociedade na qual, segundo uma etiqueta aterradora, nossos atos são catalogados e regulamentados, na qual, por uma caridade levada até a indecência, se preocupam com nossos pensamentos mais íntimos, é transportar os tormentos do inferno para a idade de ouro, ou criar, com a ajuda do diabo, uma instituição filantrópica. Solares, utópicos, harmônicos… Continue lendo O Diabo, filantropo funesto (E.M. Cioran)

“O emigrado metafísico: o gnóstico” (Sylvie Jaudeau)

A atitude gnóstica constitui, com efeito, a chave de uma obra representativa das tendências contraditórias deste século: niilismo, angelismo, revolta e fatalismo. Mais precisamente, ela nos fornece a resposta a esta questão que não falha em colocar-se a propósito de Cioran: como o niilismo é compatível com uma criação literária? O ato literário em si… Continue lendo “O emigrado metafísico: o gnóstico” (Sylvie Jaudeau)