Ionescu e “as cadeiras” – Ştefan BACIU

BUCARESTE, ano de 1934. Eram ainda os tempos felizes, quando centenas e milhares de homens podiam apaixonar-se pelo livro, pelo poesia, esperando com impaciência o resultado de um concurso literário. Colunas e páginas inteiras de jornais e revistas ocupavam -se com a vida das ideias, com os planos das escritores e dos artistas. Tempos de… Continue lendo Ionescu e “as cadeiras” – Ştefan BACIU