“E. M. Cioran, la risa constante del filĂłsofo escĂ©ptico que llegĂł de Transilvania” (Daniel Gigena)

LA NACIÓN, 8 abril 2021 A 110 años de su nacimiento, la obra del escritor y pensador rumano permite ser leĂ­da como un antĂ­doto contra los fanatismos; la ironĂ­a y el refinamiento conviven en sus libros Hijo de un sacerdote ortodoxo y de una madre melancĂłlica, como contĂł el hijo en su diario, el rumano… Continue lendo “E. M. Cioran, la risa constante del filĂłsofo escĂ©ptico que llegĂł de Transilvania” (Daniel Gigena)

Publicidade

« Clément Rosset : un pharmakon de la philosophie » (Olga del Pilar López)

Revista TrĂĄgica: estudos de filosofia da imanĂȘncia, Rio de Janeiro, v. 12, nÂș 2, p. 33-62, 2019 RĂ©sumĂ© : Cet article tente de trouver la place de la pensĂ©e de ClĂ©ment Rosset parmi les philosophies pessimistes et optimistes, du malheur et du ressentiment. Cela implique Ă©galement rĂ©flĂ©chir sur la place d’une philosophie tragique et penser… Continue lendo « ClĂ©ment Rosset : un pharmakon de la philosophie » (Olga del Pilar LĂłpez)

Ceticismo, fragmento e lucidez: “Emil Cioran. A Filosofia como Desfascinação e a Escritura como Terapia”, de Vincenzo Fiore [IV] – Rodrigo MENEZES

A ideia do suicĂ­dio e a escritura filosĂłfica como auto-anĂĄlise Perguntam-me: “VocĂȘ estĂĄ trabalhando? – Sim, num artigo sobre o suicĂ­dio.” – Minha resposta tira das pessoas a vontade de saber mais.[1] Trata-se, por fim, do Ășltimo desafio da lucidez: a permanĂȘncia e a perseverança na vida quando esta Ă© entendida como um “estado de… Continue lendo Ceticismo, fragmento e lucidez: “Emil Cioran. A Filosofia como Desfascinação e a Escritura como Terapia”, de Vincenzo Fiore [IV] – Rodrigo MENEZES

“O TeĂ­smo como Solução do Problema CosmolĂłgico: sobre uma monografia acadĂȘmica sem data” – Rodrigo MENEZES

O texto acadĂȘmico “Teismul ca soluĆŁie a problemei cosmologice” [O teĂ­smo como solução do problema cosmolĂłgico] Ă© um ensaio de teodiceia, uma reflexĂŁo filosĂłfica sobre o tema do Mal (tendo como subtĂ­tulo “dissertação sobre o neo-espiritualismo de Bergson”). Os artigos jornalĂ­sticos e acadĂȘmicos escritos nos 1930, como os que se encontram reunidos em Solitude et… Continue lendo “O TeĂ­smo como Solução do Problema CosmolĂłgico: sobre uma monografia acadĂȘmica sem data” – Rodrigo MENEZES

“Como a polĂ­tica Ă© uma questĂŁo de logos” [1/2] – Barbara CASSIN

O paradoxo começa a se explicar quando aceitamos regredir, para aquĂ©m de nossas antĂ­teses modernas (democracia/conservadorismo, revolução/reação), Ă  prĂłpria constituição da polis que marca o "milagre grego" do sĂ©culo V. Polis, logos, sofĂ­stica: o carĂĄter eminentemente polĂ­tico da sofĂ­stica Ă©, antes de tudo, um questĂŁo de logos, termo em que o grego liga, como se… Continue lendo “Como a polĂ­tica Ă© uma questĂŁo de logos” [1/2] – Barbara CASSIN

“Sobre desastres, escritura fragmentĂĄria e outras volĂșpias: «Notas Soltas para Cioran», de Ricardo Gil Soeiro” – Rodrigo MENEZES

RESENHA DE: VolĂșpia do Desastre: Notas Soltas para Ciorande Ricardo Gil Soeiro Existe um ponto de vista desde o qual o discurso pedagĂłgico Ă© impossĂ­vel. O que se consegue ver deste ponto cego do espĂ­rito – que aqui chamaremos lucidez –, mais que dizer, apaga o dito; nega inclusive quando afirma – a sua forma… Continue lendo “Sobre desastres, escritura fragmentĂĄria e outras volĂșpias: «Notas Soltas para Cioran», de Ricardo Gil Soeiro” – Rodrigo MENEZES

A Loucura & a Sociedade – Roland JACCARD

Da Idade TeolĂłgica Ă  Idade da RazĂŁo É um lugar-comum -- mas Ă© preciso nĂŁo desprezĂĄ-los, os cemitĂ©rios sĂŁo lugares-comuns -- da sociologia e da etnopsiquiatria afirmar que a doença sĂł tem sua realidade e seu valor de doença numa cultura que a reconhece como tal. Assim, por exemplo, o histĂ©rico do sĂ©culo XIX que… Continue lendo A Loucura & a Sociedade – Roland JACCARD

“LĂĄgrimas e Santos, versĂŁo do diretor” – Rodrigo MENEZES

Para Joan M. MarĂ­n. Todo leitor de Cioran sabe que um dos seus livros romenos, apĂłs Nos cumes do desespero (1934) e O livro das ilusĂ”es (1936) (ambos traduzidos e publicados no Brasil), Ă© Lacrimi Ɵi SfinĆŁi [LĂĄgrimas e Santos], cronologicamente o terceiro tĂ­tulo no conjunto da obra (publicado na RomĂȘnia em 1937). O que nĂŁo Ă©… Continue lendo “LĂĄgrimas e Santos, versĂŁo do diretor” – Rodrigo MENEZES