Divina Impotência e a “Carreira Triunfal do Mal”: Cioran e o Ateísmo Místico como Sabedoria da Insegurança

Cioran concorda com Arthur Schopenhauer em que a filosofia não tem o seu ponto de partida em um eventual maravilhamento, cheio de graça e júbilo, diante do "milagre" do Ser, da evidência de que "algo é", "há seres e ser", sempre em devir, devindo, fluindo, confluindo, em sua ininterrupta duração (la durée, segundo Bergson). O… Continue lendo Divina Impotência e a “Carreira Triunfal do Mal”: Cioran e o Ateísmo Místico como Sabedoria da Insegurança

“Breviário de Decomposição: livro perigoso e essencial” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

Por que reunir-se em torno do Précis de décomposition – e celebrá-lo? Alguns diriam que não há nada aí a ser celebrado, muito pelo contrário. Cioran: pró e contra… Qual a importância do Breviário de decomposição, conforme o temos, desde 1989, primorosamente traduzido ao português pelo professor José Thomaz Brum? Qual sua importância hoje, para […]… Continue lendo “Breviário de Decomposição: livro perigoso e essencial” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

Perfeccionismo, “Obsessão do Essencial” e a condição fragmentária (Cioran)

Nos Cahiers (p. 73), estas 2 anotações, uma seguida da outra: Chercher l'être avec des mots!- Tel est notre donquichottisme, tel est le délire de notre entreprise essentielle. [Buscar o ser com palavras! -- tal é o nosso donquixotismo, tal é o delírio de nossa empresa essencial.] Si jamais mortel a été tourmenté, supplicié par… Continue lendo Perfeccionismo, “Obsessão do Essencial” e a condição fragmentária (Cioran)

“Cioran, ingênuo e sentimental”, de Ion Vartic – Rodrigo Inácio R. SÁ MENEZES

RESENHA: VARTIC, Ion. Cioran, ingenuo y sentimental. Trad. do romeno de Francisco Javier Marina (título original: "Cioran, naiv şi sentimental"). Zaragoza: Mira Editores, 2009. O ensaio de crítica literária e psicológica de Ion Vartic sobre Cioran parte das noções schillerianas de "ingênuo" e "sentimental" para definir o "tipo psicológico" do escritor romeno radicado em Paris.… Continue lendo “Cioran, ingênuo e sentimental”, de Ion Vartic – Rodrigo Inácio R. SÁ MENEZES

“O prazer e o desprazer do texto” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

Eu dificilmente poderia discorrer, por desconhecê-lo quase absolutamente, sobre esse plaisir du texte de que fala Roland Barthes. Escrever é, para mim, algo complicado, para não dizer um suplício, um "trabalho de Sísifo". Quantos rascunhos, quantas versões, quantas e quantas páginas preenchidas apenas para serem descartadas, até chegar no que me parece o ideal, o… Continue lendo “O prazer e o desprazer do texto” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

Sobre desastres, escritura fragmentária e outras volúpias: as “Notas Soltas para Cioran”, de Ricardo Gil Soeiro (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

RESENHA DO LIVRO: Volúpia do Desastre: Notas Soltas para Cioran de Ricardo Gil Soeiro Existe um ponto de vista desde o qual o discurso pedagógico é impossível. O que se consegue ver deste ponto cego do espírito – que aqui chamaremos lucidez –, mais que dizer, apaga o dito; nega inclusive quando afirma – a… Continue lendo Sobre desastres, escritura fragmentária e outras volúpias: as “Notas Soltas para Cioran”, de Ricardo Gil Soeiro (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

“Poétique de l’échec chez Cioran” (Saber Idoudi)

Post-Scriptum - Revue de recherche interdisciplinaire en texte et médias Résumé: Le thème de l’échec est omniprésent chez Cioran. Cette omniprésence a une double singularité : philosophique et littéraire. Si le ratage est, pour Kafka, une question essentiellement personnelle, il prend dans l’œuvre cioranienne une dimension universelle. De l’Être jusqu’aux détails les plus banals de la vie… Continue lendo “Poétique de l’échec chez Cioran” (Saber Idoudi)