“Poesia, tempo e história na obra de Octavio Paz” – Ival de Assis CRIPA

Revista Metalinguagens, v. 1, n. 2 (2014) RESUMO: Segundo Roger Chartier, no final do século XX, a crise dos paradigmas da historiografia oficial e seu culto ao progresso abriram um espaço representativo para o estudo da literatura como fonte histórica. Tal atitude exigiu uma atenção maior dos historiadores sobre as relações entre história e narrativa.… Continue lendo “Poesia, tempo e história na obra de Octavio Paz” – Ival de Assis CRIPA

Publicidade

Pós-Metafísica, Pós-Modernidade, Pós-História, Pós-Humanismo: em diálogo com Kerstin Borchhardt sobre a recepção cioraniana de Nietzsche

Portal E.M. Cioran Brasil, 7 de junho de 2021[1] Kerstin BORCHHARDT é filósofa e historiadora da arte, doutora em História da Arte pela Universidade Friedrich-Schiller, em Iena, onde obteve bolsas de estudo de importantes instituições como Studienstiftung des deutschen Volkes, Gerda Henkel Stiftung e Fritz Thyssen Stiftung. Lecionou na Universidade de Erfurt de 2013 a… Continue lendo Pós-Metafísica, Pós-Modernidade, Pós-História, Pós-Humanismo: em diálogo com Kerstin Borchhardt sobre a recepção cioraniana de Nietzsche

“Cioran e a pós-modernidade: uma crítica às metanarrativas” (Flávio Rocha de Deus)

Revista LAMPEJO, Volume 8, nº 1, 1º Semestre de 2019 RESUMO: Apesar da diversidade de percepções do que vem a ser a pós-modernidade, existe um ponto de convergência entre uma parte significante dos estudiosos do tema, que é caracterização desta época como um período de falência e descrença em ideias totalizantes. Através do olhar de… Continue lendo “Cioran e a pós-modernidade: uma crítica às metanarrativas” (Flávio Rocha de Deus)

“O pessimismo de Cioran e Céline: o desafio de pensar sem utopia” (Fernando Santarosa de Oliveira)

Dissertação de mestrado -- Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de São João Del Rei (UFSJ), agosto de 2016. Orientação: Anderson Bastos Martins. RESUMO: O filósofo romeno Emil Cioran (1911 - 1995) dedicou grande parte de sua obra à crítica dos ideais utópicos que guiaram o pensamento de seu tempo. Seu pessimismo foi a pedra… Continue lendo “O pessimismo de Cioran e Céline: o desafio de pensar sem utopia” (Fernando Santarosa de Oliveira)