“Ne te quaesiveris extra: Bloom, Cioran e a autodependência” – Rodrigo Menezes

Apenas dura aquilo que foi concebido na solidão, diante de Deus, quer sejamos crentes quer não.CIORAN, Do inconveniente de ter nascido, p. 54. Crer em Deus nos dispensa de crer em qualquer outra coisa – o que é uma vantagem inestimável. Sempre invejei os que creem nele, ainda que crer-se Deus me pareça mais fácil do… Continue lendo “Ne te quaesiveris extra: Bloom, Cioran e a autodependência” – Rodrigo Menezes

“John Gray e o equívoco do gnosticismo” – Rodrigo MENEZES

Em A alma da marionete (The Soul of the Marionette, 2015), John Gray dava indícios de compreender equivocadamente o assim-chamado "gnosticismo": a gnose da heresia gnóstica surgida no cristianismo primitivo, nos primeiros séculos da nossa era, e ressurgida na Idade Média, entre os cátaros e outros grupos religiosos sectários. Ele escreve: Hoje em dia, muitas… Continue lendo “John Gray e o equívoco do gnosticismo” – Rodrigo MENEZES

“Le Mauvais Démiurge, de Emil Cioran” – Rodrigo MENEZES

Apresentação deste importante livro de Cioran ainda inédito em língua portuguesa, tendo como pretexto argumentativo a resenha assinada por Gabriel Marcel, filósofo existencialista cristão e amigo do autor romeno: "Um aliado na contracorrente" (Le Monde, 28 de junho de 1969). Trata-se de uma análise compreensiva do livro, contextualizado no âmbito do conjunto da obra de… Continue lendo “Le Mauvais Démiurge, de Emil Cioran” – Rodrigo MENEZES

Profetismo, apocalipticismo, gnosticismo – Harold BLOOM

O gnosticismo, então e agora, em minha opinião, se levanta como um protesto contra a fé apocalíptica, mesmo quando o faz dentro de uma dessas fés, como fez sucessivamente no judaísmo, cristianismo e Islã. A religião profética torna-se apocalíptica quando a profecia falha, e a religião apocalíptica torna-se gnóstica quando o apocalipse falha, como felizmente… Continue lendo Profetismo, apocalipticismo, gnosticismo – Harold BLOOM

“Visões de anjos” (Harold Bloom)

Os anjos são tudo, menos imagens efêmeras. A sequência histórica de religiões ocidentais -- zoroastrismo, judaísmo, cristianismo, Islã -- não soube contar a história de suas verdades sem intercessões angélicas, nem há grande tradição religiosa, oriental ou ocidental, que não dependa de anjos. A vida espiritual, expressa no culto ou na prece, na contemplação privada… Continue lendo “Visões de anjos” (Harold Bloom)

“Ensaio herético sobre a atualidade da gnose” (Otávio Velho)

Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 4, n. 8, p. 34-52, jun. 1998 Resumo: O objetivo desta comunicação é sugerir o interesse para os estudiosos da religião em examinar a hipótese da atualidade da gnose (ou do gnosticismo) a partir de recentes trabalhos do escritor Harold Bloom. Ao mesmo tempo, trata de colocar as possibilidades levantadas… Continue lendo “Ensaio herético sobre a atualidade da gnose” (Otávio Velho)

“Autodependência ou simples gnosticismo” (Harold Bloom)

1. Quero convidar homens encharcados de Tempo a recuperar-se e sair do Tempo, e provar seu imortal ar nativo. - EMERSON Se nos buscamos fora de nós mesmos, encontraremos a catástrofe, erótica ou ideológica. Deve ser por isso que Ralph Waldo Emerson, em seu fundamental ensaio "Self-reliance" [Autodependência] (1840), observou que "viajar é o paraíso… Continue lendo “Autodependência ou simples gnosticismo” (Harold Bloom)

“Coda: nem pela fé, nem pelos anjos (um sermão gnóstico)” – Harold BLOOM

"O que nos liberta é a Gnose de quem éramos do que nos tornamos de onde estávamos de onde fomos lançados de para onde corremos do que estamos sendo libertados do que é de fato o nascimento do que é de fato o renascimento" Este é um credo gnóstico do século 2 A.D., e pretendo… Continue lendo “Coda: nem pela fé, nem pelos anjos (um sermão gnóstico)” – Harold BLOOM

“Emil Cioran e Harold Bloom: afinidades espirituais” (Rodrigo I. R. Sá Menezes)

Je suis spirituellement, et géographiquement, un bogomile. Cioran, Cahiers : 1957-1972 Um nunca mencionou o outro, ainda que seja improvável que não soubessem da existência um do outro; alguns silêncios são significativos – dizem mais do que todas as palavras juntas. No entanto, as afinidades entre o crítico literário norte-americano e o filósofo romeno de expressão… Continue lendo “Emil Cioran e Harold Bloom: afinidades espirituais” (Rodrigo I. R. Sá Menezes)