“Hannah Arendt: a capacidade de julgar” – JosĂ© Alves de Freitas Neto

A banalidade do mal Ă© chave fundamental no pensamento de Hannah Arendt e se desdobra nas questĂ”es que enfrentamos no sĂ©culo XXI. A partir do cĂ©lebre julgamento de um burocrata nazista, Arendt sugeriu formulaçÔes incĂŽmodas sobre a capacidade de julgar, de discernir, de pensar. A banalidade do mal Ă©, de certa forma, uma advertĂȘncia aos… Continue lendo “Hannah Arendt: a capacidade de julgar” – JosĂ© Alves de Freitas Neto

Publicidade

“Hans Jonas: o problema do dualismo nihilista no pensamento filosĂłfico-cientĂ­fico e a nova memĂłria acerca da natureza em sua alteridade” – MĂĄrcio Adriano dos SANTOS DIAS

Problemata: R. Intern. Fil. Vol. 04. No. 01. (2013), p. 79-­109 Resumo: Busca-­se, neste artigo, realizar uma anĂĄlise de carĂĄter crĂ­tico, apoiada na apresentação de alguns aspectos centrais do pensamento jonasiano, acerca do problema do dualismo niilista incorporado em parte do pensamento filosĂłfico-­cientĂ­fico. Tal dualismo tem incidido na formação da memĂłria ocidental da natureza, tanto… Continue lendo “Hans Jonas: o problema do dualismo nihilista no pensamento filosĂłfico-cientĂ­fico e a nova memĂłria acerca da natureza em sua alteridade” – MĂĄrcio Adriano dos SANTOS DIAS