“As vantagens da debilidade” – CIORAN

O indivĂ­duo que nĂŁo ultrapassa sua qualidade de belo exemplar, de modelo acabado, e cuja existĂȘncia confunde-se com seu destino vital, coloca-se fora do espĂ­rito. A masculinidade ideal – obstĂĄculo Ă  percepção das nuanças – comporta uma insensibilidade em relação ao sobrenatural cotidiano, de onde a arte extrai sua substĂąncia. Quanto mais natureza se Ă©,… Continue lendo “As vantagens da debilidade” – CIORAN

Publicidade

“O segundo Cioran e a campanha abolicionista da alma” – Rodrigo MENEZES

Uma das diferenças mais marcantes no pensamento de Cioran na passagem dos escritos romenos aos franceses, apĂłs a Segunda Guerra, Ă© a reação crĂ­tica, em nome da lucidez do espĂ­rito, Ă s ilusĂ”es das quais outrora fizera a apologia (ver O Livro das ilusĂ”es). "IlusĂŁo" se refere, antes de tudo, e fundamentalmente, Ă  ilusĂŁo de profundidade,… Continue lendo “O segundo Cioran e a campanha abolicionista da alma” – Rodrigo MENEZES

“Nietzsche, una Ă©tica de la superficie” (Alfredo Abad)

El profesor de la UTP habla de ese tema tan esencial en Nietzsche, y actualizado por Cioran a su manera: la Ă©tica de la superficie, "por exceso de profundidad". https://www.youtube.com/watch?v=-M7pGJLq7N8&feature=youtu.be

“Estatuto paradoxal da pele e cultura contemporĂąnea: da porosidade Ă  pele-teflon” – Maria Cristina Franco FERRAZ

Galaxia (SĂŁo Paulo, Online), n. 27, p. 61-71, jun. 2014 Resumo: A exploração do estatuto paradoxal da pele – interface dentro/fora – permite ultrapassar a dicotomia metafĂ­sica superfĂ­cie/profundidade, problematizando a tendĂȘncia atual, tambĂ©m expressa na teoria, a um elogio das superfĂ­cies e a um horror por oposiçÔes dicotĂŽmicas. Possibilita avaliar as implicaçÔes do fechamento da… Continue lendo “Estatuto paradoxal da pele e cultura contemporĂąnea: da porosidade Ă  pele-teflon” – Maria Cristina Franco FERRAZ

“Profundidade e melancolia: a propĂłsito de Liliana Herrera” – Olga LucĂ­a Betancourt S.

Sua recordação por detrĂĄs de um vĂ©u de nostalgia, e em seus frĂĄgeis ombros o peso da desrazĂŁo da ExistĂȘncia, da incompreensĂŁo em relação Ă  Vida; com uma infĂąncia e uma adolescĂȘncia precoces, dedicando-se aos estudos, Ă  investigação, em sua infinita curiosidade intelectual. Adolescente, empreendeu e terminou uma carreira de psicologia infantil em Cali, mas… Continue lendo “Profundidade e melancolia: a propĂłsito de Liliana Herrera” – Olga LucĂ­a Betancourt S.

“O veneno abstrato” – CIORAN

MESMO nossos males vagos, nossas inquietudes difusas, quando degeneram em  fisiologia, convĂ©m, por um processo inverso, reconduzi-los Ă s manobras da inteligĂȘncia. E se alçåssemos o tĂ©dio – percepção tautolĂłgica do mundo, tĂȘnue ondulação da duração – Ă  dignidade de uma elegia dedutiva, se oferecĂȘssemos a ele a tentação de uma prestigiosa esterilidade? Sem o recurso… Continue lendo “O veneno abstrato” – CIORAN

“A Grande Dor, extremo liberador do espĂ­rito” – NIETZSCHE

1. FreqĂŒentemente me perguntei se nĂŁo tenho um dĂ©bito mais profundo com os anos mais difĂ­ceis de minha vida do que com outros quaisquer. Minha natureza Ă­ntima me ensina que tudo necessĂĄrio, visto do alto e no sentido de uma grande economia, Ă© tambĂ©m vantajoso em si -- deve-se nĂŁo apenas suportĂĄ-lo, deve-se amĂĄ-lo... Amor… Continue lendo “A Grande Dor, extremo liberador do espĂ­rito” – NIETZSCHE

“Dualidade” (E.M. Cioran)

HÁ UMA VULGARIDADE que nos faz admitir qualquer coisa deste mundo, mas que nĂŁo Ă© bastante poderosa para nos fazer admitir o mundo mesmo. Assim, podemos suportar os males da vida repudiando a Vida, deixar-nos arrastar pelas efusĂ”es do desejo rejeitando o Desejo. No assentimento Ă  existĂȘncia existe uma espĂ©cie de baixeza, a qual escapamos… Continue lendo “Dualidade” (E.M. Cioran)