Telas: novo vĂ­cio | Planeta CNN

Se o "velho homem" era teolĂłgico-dependente, o "novo homem" Ă© tecnolĂłgico-dependente. O que nos leva a pensar na teologia como uma tecnologia simbĂłlica da "alma", e a tecnologia, uma teologia materialista-consumista apĂłs a "morte de Deus". Perene escravidĂŁo... https://www.youtube.com/watch?v=GsyI0v7vpv0 PODER INTELIGENTE Byung-Chul Han O poder pode se expressar como violĂȘncia ou repressĂŁo, mas nĂŁo se… Continue lendo Telas: novo vĂ­cio | Planeta CNN

Publicidade

“Crimes do futuro: o grotesco-chic da distopia de David Cronenberg” – Rodrigo MENEZES

Esgotados os modos de expressĂŁo, a arte se orienta para o sem-sentido, para um universo privado e incomunicĂĄvel. Todo estremecimento inteligĂ­vel, tanto em pintura como em mĂșsica ou em poesia, nos parece, com razĂŁo, antiquado ou vulgar. O pĂșblico desaparecerĂĄ em breve; a arte o seguirĂĄ de perto.Uma civilização que começou com as catedrais tinha… Continue lendo “Crimes do futuro: o grotesco-chic da distopia de David Cronenberg” – Rodrigo MENEZES

“As Velhinhas e o Diabo: aforismos para tempos que ainda esperam pelo despertar da histĂłria” – Giovanni ROTIROTI

PrefĂĄcio de As velhinhas e o diabo [Babele și diavolul], de Ciprian Vălcan. Trad. de Rodrigo Menezes. SĂŁo Paulo: Tesseractum, 2022. ISBN: 978-65-89867-30-2. “A etapa final do capitalismo Ă© o canibalismo.” Num sĂ©culo – como o nosso – marcado pela derrocada das utopias emancipatĂłrias e pela crescente imposição do sistema econĂŽmico e do imaginĂĄrio capitalista,… Continue lendo “As Velhinhas e o Diabo: aforismos para tempos que ainda esperam pelo despertar da histĂłria” – Giovanni ROTIROTI

“«DialĂ©tica da indolĂȘncia»: heresia e idiotismo contra a tirania da positividade tĂłxica” – Rodrigo Menezes

Quis suprimir em mim as razĂ”es que os homens invocam para existir e para agir. Quis tornar-me indizivelmente normal – e eis-me aqui, no embrutecimento, no mesmo plano que os idiotas e tĂŁo vazio como eles.CIORAN, BreviĂĄrio de decomposição, p. 62 Ser mais inutilizĂĄvel que um santo...CIORAN, Silogismos da amargura, p. 75 Cioran e Byung-Chul… Continue lendo “«DialĂ©tica da indolĂȘncia»: heresia e idiotismo contra a tirania da positividade tĂłxica” – Rodrigo Menezes

Idiotismo – Byung-Chul HAN

Em seu curso de 1980 sobre Espinosa, Deleuze observa o seguinte: Literalmente, eu diria que se fazem de idiotas. Fazer-se de idiota. Fazer-se de idiota serĂĄ sempre uma função da filosofia.[1] Desde o inĂ­cio, a filosofia estĂĄ intimamente ligada ao idiotismo. Todo filĂłsofo que produz um novo idioma, uma nova linguagem, um novo pensamento, terĂĄ… Continue lendo Idiotismo – Byung-Chul HAN

Ditadura da TransparĂȘncia – Byung-Chul HAN

No inĂ­cio, a rede digital foi celebrada como um medium de liberdade ilimitada. O primeiro slogan publicitĂĄrio da Microsoft, «Aonde vocĂȘ quer ir hoje?», sugeria uma liberdade e uma mobilidade sem fronteiras na internet. Hoje, essa euforia jĂĄ se mostrou uma ilusĂŁo. A liberdade e a comunicação ilimitadas se transformam em monitoramento e controle total.… Continue lendo Ditadura da TransparĂȘncia – Byung-Chul HAN