“Pensamentos extraviados”, de Emil Cioran: aforismos inéditos de RAZNE

(n.t.) Revista Literária em Tradução, ano IX, vol. 2, dezembro de 2019 O TEXTO: Seleção de “pensamentos extraviados” a partir de Razne (1945-46), um dos últimos livros em romeno de Cioran, escrito pouco antes de adotar o francês como língua de expressão. A obra, que ficou perdida por mais de meio século, até ser publicada… Continue lendo “Pensamentos extraviados”, de Emil Cioran: aforismos inéditos de RAZNE

“Cioran, prophète de l’isolement” (Cristina Hermeziu)

ActuaLitté - Les Univers du Livre, 14 avril 2020 On ne s’ennuie pas avec Cioran, exquis compagnon de confinement. Lorsque, de surcroît, le temps devient un surplus inespéré, l’injonction d’embrasser le chez soi comme la seule frontière sociale admissible retentit hélas comme un écho cioranien par excellence. Mais, jubilation paradoxale, on ne s’ennuie jamais avec… Continue lendo “Cioran, prophète de l’isolement” (Cristina Hermeziu)

Ceticismo, Hamletismo, Diletantismo e Lucidez: o (des)pudor do “É”

https://www.youtube.com/watch?v=4pARcHxo5Aw Cioran faz o elogio do hamletismo e do diletantismo, atitudes percebidas positivamente como signos de sabedoria, de certa arte de viver. A conclusão da lucidez praticada e comunicada por Cioran, a partir de suas nuits blanches, é o hamletismo e o diletantismo como sabedoria. "Não operamos no É", sentencia o filósofo romeno.

Razne: “Que significa ser cético? / Ce înseamnă a fi sceptic?” (Emil Cioran)

Que significa ser cético? Não crer-te o centro do universo. Basta, porém, um momento de distração, um instante de fragilidade na consciência, para que nos reinstalemos de imediato no mais antigo e vital dos erros. Todo homem -- em seus momentos de não lucidez, o que equivale a dizer a quase totalidade da sucessão temporal… Continue lendo Razne: “Que significa ser cético? / Ce înseamnă a fi sceptic?” (Emil Cioran)

Razne, um dos últimos escritos romenos de Cioran, prefiguração de sua obra francesa

Razne, escrito entre 1945 e 1946, é um dos últimos escritos de Cioran ainda em romeno, já vivendo há anos na França. Foi traduzido ao francês como Divagations, em italiano como Divagazioni e em espanhol como Extravíos. Um texto importante pela posição que ocupa no conjunto da obra: livro de transição entre a escrita em… Continue lendo Razne, um dos últimos escritos romenos de Cioran, prefiguração de sua obra francesa

Alguns aforismos de Razne: um dos últimos escritos de Cioran em romeno

Li todos os livros da tristeza humana. E não me convenceram Convenceu-me o sangue, não obstante, sussurrando às ideias o cansaço de seu próprio calor. § A nostalgia é a forma mais doce da alienação mental, de nossa tendência a conceber outros mundos. § Estar no tempo, com menos proveito do que Deus antes da… Continue lendo Alguns aforismos de Razne: um dos últimos escritos de Cioran em romeno

Emil Cioran, los libros rumanos presentados por Fernando Savater

Vídeo de la presentación de Emil Cioran y los libros rumanos publicados por Hermida Editores. Intervienen Fernando Savater, Christian Santacroce y Alejandro Roque Hermida. Modera Luminita Marcu en el marco de la Feria del Libro de Madrid del año 2018. https://www.youtube.com/watch?v=a9Q6O3JbaYI&t=1676s

“Extravíos” (Rafael Narbona)

EL CULTURAL, 04 de mayo, 2018 Extravíos, de Emil Cioran Traducción de Christian Santacroce. Hermida Editores. Madrid, 2018. 102 páginas, 15,90 € La desesperanza siempre es la tentación más fácil. El pesimismo disfruta de un incomprensible prestigio. E. M. Cioran (Rasinari, Rumania, 1911-París, 1995) es uno de sus profetas más celebrados. Su pensamiento puede expresarse en unas pocas… Continue lendo “Extravíos” (Rafael Narbona)

“Los Extravíos de Cioran” (José Ignacio Nájera)

En este curso de 2018 nos ha saludado la traducción de un inédito de Cioran al español. De la mano del connaisseur cioraniano Chistian Santacroce ha aparecido en Hermida Editores un bello ejemplar de unas 90 páginas con el título Extravíos, anteriormente publicado en la editorial rumana Humanitas con el nombre de Razne en el… Continue lendo “Los Extravíos de Cioran” (José Ignacio Nájera)

“Razne”, o livro oculto de Cioran

"O túmulo é a única farmácia para a melancolia." (Cioran, Razne) Foi publicado recentemente na Romênia um manuscrito de Emil Cioran que teria ficado engavetado, desde sua redação em 1945/46 até os dias de hoje, em sua mansarda em Paris, e que foi arquivado na Biblioteca Jacques Doucet de Paris (onde se encontram guardados todos… Continue lendo “Razne”, o livro oculto de Cioran