Cioran, um autor para crentes e descrentes, místicos e niilistas, para “os que creem em tudo e os que não creem em nada”: uma antologia

Uma seleção de aforismos e fragmentos que ilustram a dualidade fundamental do pensamento de Cioran, dividido (e indeciso), como um "Hamlet" balcânico, entre o Absoluto e a existência, Deus e o Nada, a necessidade de salvação ou délivrance (libertação) e a "tentação de existir". Numa passagem d'O Livro das ilusões, incluída nesta antologia, o jovem… Continue lendo Cioran, um autor para crentes e descrentes, místicos e niilistas, para “os que creem em tudo e os que não creem em nada”: uma antologia

“Da unidade à vacuidade e interdependência de todos os seres no pensamento hindu e budista” – Paulo BORGES

Religare, UFPB, v.13, n.2, dezembro de 2016, p.348-378. Resumo: O objectivo do presente artigo é mostrar o estatuto de todas as formas de vida no pensamento hindu e budista. Enquanto no pensamento hindu predomina a visão da procedência de todos os seres e coisas de uma unidade englobante, simultaneamente transcendente e imanente, no pensamento budista… Continue lendo “Da unidade à vacuidade e interdependência de todos os seres no pensamento hindu e budista” – Paulo BORGES

“Emil Cioran y el terror de la historia” – Catalina Elena DOBRE

Espacio M. Liliana Herrera A. 🇨🇴

Religare – Revista do Programa de Pós-Graduação em Ciências das Religiões da Universidade Federal da Paraíba, v. 10, n. 1 (2013): Dossiê Cioran e a Religião

Resúmen: El objetivo principal de este trabajo es demostrar que el filósofo rumano Emil Cioran no es como un nihilista , sino un filósofo que interroga su tiempo y su historia. Nacido en Rumania, más específicamente, en un pequeño pueblo llamado Rasinari , en Transilvania , Cioran se convertirá en uno de los filósofos más importantes del siglo XX . Terminar sus estudios de la Universidad de Bucarest Emil Cioran voluntad ” divorcio ” de la filosofía sistemática porque ésta era la realidad del pensamiento europeo : un cambio completo anticipado por otros pensadores como Kierkegaard , Nietzsche , Dostoievski . Incluso si en Rumano de Cultura , este proceso de cambio era muy poderosa , y más en el ` 30 del siglo…

Ver o post original 76 mais palavras

“O trágico da existência na filosofia de Cioran” (Rogério de Almeida)

O objetivo deste artigo é refletir sobre o pensamento de Emil Cioran e as possíveis relações com uma filosofia trágica, como a de Friedrich Nietzsche e Clément Rosset. Como método, adotou-se a escrita fragmentada dos aforismos, emulando o estilo de escrita de Cioran. A reflexão aponta que Cioran é um filósofo do pior, que pensa negativamente a vida, mas também a afirma, a aprova, ainda que esta seja racionalmente injustificável.