“Invocação à Insônia” – E.M. CIORAN

Eu tinha dezessete anos e acreditava na filosofia. O que não se referia a ela parecia-me pecado ou lixo: os poetas? saltimbancos aptos para a diversão de mulherzinhas; a ação? imbecilidade delirante; o amor, a morte? pretextos de baixa categoria que se recusavam à honra dos conceitos. Odor nauseabundo de um universo indigno do perfume… Continue lendo “Invocação à Insônia” – E.M. CIORAN