“O que é Romantismo?” – Friedrich NIETZSCHE

370. O que é romantismo? — Talvez seja lembrado, ao menos entre meus amigos, que de início me lancei sobre esse mundo moderno com alguns grossos erros e superestimações, e em todo caso com esperanças. Eu compreendi — quem sabe a partir de que vivências pessoais? — o pessimismo filosófico do século XIX como sintoma… Continue lendo “O que é Romantismo?” – Friedrich NIETZSCHE

“Cioran y el Romanticismo” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

Texto presentado en las Jornadas Filosóficas Cioran ( noviembre 2020), en homenaje a los 25 años del filósofo rumano (1911-1995). 1. Introducción  Me gustaría hacer un breve ejercicio hermenéutico en torno a Cioran: pensar la herencia romántica del pensador rumano, el fondo romántico de su pensamiento y de su obra, su romanticismo, en suma, lo… Continue lendo “Cioran y el Romanticismo” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

“Cioran e o Romantismo: espírito, pensamento, expressão” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

RESUMO: Trata-se de um exercício hermenêutico em torno da obra e do pensamento de Emil Cioran (1911-1995), no sentido de focalizar o romantismo latente ou manifesto deste pensador romeno consagrado por seus livros franceses: sua herança romântica, o fundus animæ romântico do seu pensamento existencial. Cioran, pensador – e artista – romântico: o que isso… Continue lendo “Cioran e o Romantismo: espírito, pensamento, expressão” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

“A experiência do tédio” – Lars SVENDSEN

Arnold Gehlen afirmou que só a realidade ajuda a lutar contra o tédio. Essa não é, em absoluto, uma má sugestão, mas não é possível se apossar assim de um fragmento da realidade. O problema com o tédio, entre outras coisas, é que "perdemos" realidade. A proposta de Gehlen poderia parecer uma solução, supondo-se que… Continue lendo “A experiência do tédio” – Lars SVENDSEN

“A força maior” – Clément ROSSET

"Os deuses ocultaram o que faz viver os homens." Hesíodo UMA DAS MARCAS mais seguras da alegria é, para empregar um qualitativo com ressonâncias desagradáveis sob vários aspectos, seu caráter totalitário. O regime da alegria é o do tudo ou nada: não há alegria senão total ou nula (e acrescentarei, antecipando o que virá a… Continue lendo “A força maior” – Clément ROSSET

“O primado do artista sobre o filósofo” (José Thomaz Brum)

Este artigo procura apresentar a obra póstuma do filósofo alemão Schelling (1775-1854) intitulada Filosofia da Arte. Lançada no Brasil pela Edusp, com tradução e prefácio de Márcio Suzuki, ela constitui um verdadeiro “compêndio do saber romântico”. Palavras-chave: Schelling, idealismo alemão, filosofia da arte Friedrich Wilhelm Joseph Schelling (1775-1854), filósofo guia da escola romântica, pertence –… Continue lendo “O primado do artista sobre o filósofo” (José Thomaz Brum)