Biografia de Cioran comentada e ilustrada: os anos romenos (1911-1937) | Live temática no YT

Começa-se normalmente pelo "segundo nascimento de Cioran", conforme se refere Patrice Bollon ao marco divisor da obra, o Breviário de decomposição, o premiado livro de estreia do autor romeno em língua francesa, desconhecendo em maior ou menor medida a biografia pregressa do pensador transilvano, muitas vezes ignorando que, antes de adotar o francês como língua… Continue lendo Biografia de Cioran comentada e ilustrada: os anos romenos (1911-1937) | Live temática no YT

“Só através do coração sabemos que algo muda”: entrevista com Simona Constantinovici sobre o Dicţionar de Termeni Cioranieni (3/3)

"Todo escritor deve ser conhecido assim, em sua inteireza, e não apenas em fragmentos. Ou melhor, um fragmento deve ser comparado sempre com as demais partes integrantes da obra para que, finalmente, se possa extrair uma rede de significados, uma substância ativa, um genoma, um DNA de identificação. Mas, como apenas em fragmentos podemos explorar… Continue lendo “Só através do coração sabemos que algo muda”: entrevista com Simona Constantinovici sobre o DicÅ£ionar de Termeni Cioranieni (3/3)

Breviário de decomposição e outras poéticas: Conversações Filosóficas com Caio Souto

  https://www.youtube.com/watch?v=9IawFlmgTf8&t=2s Nesta conversa, Rodrigo Inácio Ribeiro Sá Menezes fez uma didática exposição de diversos aspectos da obra de E.M. Cioran, filósofo romeno de expressão francesa (bilíngue) do século XX. O entrevistado é o criador do Portal E.M. Cioran Brasil (link abaixo). Rodrigo Inácio Ribeiro Sá Menezes é Bacharel em Publicidade e Propaganda pela FAAP… Continue lendo Breviário de decomposição e outras poéticas: Conversações Filosóficas com Caio Souto

Cioran é Axé: Romenidade, Baianidade, Zeflemea e outras irreverências

https://www.youtube.com/watch?v=WlgLS9BtYuk&t=2499s “Às vezes tenho a impressão de que a obra de Cioran é como uma espécie de bazar, onde cada um se serve daquilo que quer, inclusive dos aspectos místicos-religiosos”, afirma Mirko Integlia, autor de Tormented by God: The Mystical Nihilism of Emil Cioran (2019). Cioran mesmo se fez esse "bazar" ou "armazém", ideia explorada… Continue lendo Cioran é Axé: Romenidade, Baianidade, Zeflemea e outras irreverências

“Exegese da decadência” (E.M. Cioran)

O aforismo "Exegese da decadência" retoma -- sob uma outra luz, pelo filtro de um novo idioma e da forma mentis peculiar que ele modela -- a temática e a problemática de um importante texto periodístico de juventude do autor romeno do Breviário de decomposição: trata-se de Nihilism şi natura [Niilismo e natureza], publicado originalmente na revista… Continue lendo “Exegese da decadência” (E.M. Cioran)

“Cioran, ingênuo e sentimental”, de Ion Vartic – Rodrigo Inácio R. SÁ MENEZES

RESENHA: VARTIC, Ion. Cioran, ingenuo y sentimental. Trad. do romeno de Francisco Javier Marina (título original: "Cioran, naiv şi sentimental"). Zaragoza: Mira Editores, 2009. O ensaio de crítica literária e psicológica de Ion Vartic sobre Cioran parte das noções schillerianas de "ingênuo" e "sentimental" para definir o "tipo psicológico" do escritor romeno radicado em Paris.… Continue lendo “Cioran, ingênuo e sentimental”, de Ion Vartic – Rodrigo Inácio R. SÁ MENEZES

“Um -ismo ocioso: a crítica de Michael Allen Williams ao conceito de gnosticismo” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

Em Rethinking Gnosticism: An Argument for Dismantling a Dubious Category [Repensando o Gnosticismo: Um Argumento para Desmantelar uma Categoria Duvidosa] (1999), Michael Allen Williams argumenta que o termo “gnosticismo” se tornou, no discurso moderno, “um rótulo tão proteiforme que perdeu qualquer sentido confiável e identificável pelo grande público leitor”.[i] Mais ou menos como “niilismo”: de… Continue lendo “Um -ismo ocioso: a crítica de Michael Allen Williams ao conceito de gnosticismo” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

O jovem Cioran e sua tradução do romeno: entrevista com Fernando Klabin, tradutor de Nos Cumes do Desespero (Hedra, 2012)

Nascido em São Paulo numa família de origens russa e italiana, Fernando Klabin viveu durante muitos anos na Romênia, onde graduou-se em Ciências Políticas pela Universidade de Bucareste. Nos últimos quinze anos, Klabin tem enriquecido o mercado editorial brasileiro com traduções de obras do inglês, do alemão e especialmente do romeno. Ele traduziu, diretamente do… Continue lendo O jovem Cioran e sua tradução do romeno: entrevista com Fernando Klabin, tradutor de Nos Cumes do Desespero (Hedra, 2012)