“Cioran’s clinamen”: a female Muslim reading – interview with Daria LEBEDEVA

Daria Lebedeva was born in the city of Odessa, Ukraine, and presently lives in Sweden. She obtained a PhD in Philosophy from the Institute of Philosophy and Sociology of the Polish Academy of Sciences, under the supervision of Agata Bielik-Robson, with a thesis about Cioran’s clinamen: a case study of a philosophical influence (2012). It’s… Continue lendo “Cioran’s clinamen”: a female Muslim reading – interview with Daria LEBEDEVA

“O clinamen de Cioran”: uma perspectiva feminina muçulmana. Entrevista com Daria Lebedeva

DARIA LEBEDEVA é ucraniana, nascida em Odessa, e vive atualmente na Suécia. Realizou seu doutorado no Instituto de Filosofia e Sociologia da Academia Polonesa de Ciências (Varsóvia), sob orientação de Agata Bielik-Robson, com uma tese sobre o filósofo romeno de expressão francesa: Cioran’s clinamen: a case analysis of a philosophical influence (2012).[1] Trata-se de uma… Continue lendo “O clinamen de Cioran”: uma perspectiva feminina muçulmana. Entrevista com Daria Lebedeva

“A sombra do amado”: a poesia mística de Rūmī

Morrei, morrei, de tanto amor morrei,morrei, morrei de amor e vivereis.Morrei, morrei, e não temais a morte,voai, voai bem longe, além das nuvens.Morrei, morrei, nesta carne morrei,é mero laço, a carne que vos prende!#Vamos, quebrai, quebrai esta prisão!Sereis de pronto príncipes e emires!Morrei, morrei aos pés do Soberano:e assim sereis ministros e sultões!Morrei, morrei, deixai… Continue lendo “A sombra do amado”: a poesia mística de Rūmī

“The paradox that is Persia” – Abbas MILANI

https://www.youtube.com/watch?v=k-y93AZhsBU&t=329s

“Acerca do budismo, Cioran e filosofia ocidental” – Paulo BORGES

CV - Em que medida um melhor conhecimento da filosofia oriental contribui para a transformação da reflexão filosófica da tradição ocidental? No seu caso, como é que o budismo influenciou o estilo de filosofia que pratica? PB - Conhecer as filosofias orientais – muito diversas entre si – é indispensável para conhecer melhor a própria… Continue lendo “Acerca do budismo, Cioran e filosofia ocidental” – Paulo BORGES

Sobre Lágrimas y Santos (prólogo) – Christian SANTACROCE

« Je me vois, à Braşov, dans cette maison juchée sur la colline, je me vois plongé dans la vie des saints! ».CIORAN, Cahiers, p. 967 Cioran escribe Lágrimas y santos entre 1936 y 1937, durante el año que pasa en Braşov como profesor de filosofía y lógica en el actual Colegio Nacional Andrei Şaguna.… Continue lendo Sobre Lágrimas y Santos (prólogo) – Christian SANTACROCE

As pontes ecumênicas na poética de Rûmi: entrevista com Marco Lucchesi

Márcia Junges e Andriolli Costa - IHU On-line - Revista do Instituto Humanitas Unisinos O professor Marco Lucchesi reflete sobre a obra do místico sufi, considerado o maior dos poetas muçulmanos, e as relações que constrói a partir do cristianismo e do islã Para o professor Marco Lucchesi, historiador, literato e membro da Academia Brasileira de… Continue lendo As pontes ecumênicas na poética de Rûmi: entrevista com Marco Lucchesi

IHU: “Rûmî, um dos místicos mais abertos à cortesia e hospitalidade inter-religiosos” – entrevista com Faustino Teixeira & Marco Lucchesi

IHU Online, no. 242, 5 de novembro de 2007 Faustino Teixeira, professor e pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Religião da Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais (UFJF), e o poeta Marco Lucchesi concederam a entrevista que segue, por e-mail, sobre o livro que acabam de lançar pela Editora Fissus, intitulado… Continue lendo IHU: “Rûmî, um dos místicos mais abertos à cortesia e hospitalidade inter-religiosos” – entrevista com Faustino Teixeira & Marco Lucchesi

“Lágrimas e Santos, versão do diretor” – Rodrigo MENEZES

Para Joan M. Marín. Todo leitor de Cioran sabe que um dos seus livros romenos, após Nos cumes do desespero (1934) e O livro das ilusões (1936) (ambos traduzidos e publicados no Brasil), é Lacrimi şi Sfinţi [Lágrimas e Santos], cronologicamente o terceiro título no conjunto da obra (publicado na Romênia em 1937). O que não é… Continue lendo “Lágrimas e Santos, versão do diretor” – Rodrigo MENEZES