“Fitzgerald: a experiência pascalina de um romancista americano” (E.M. Cioran)

A LUCIDEZ, em alguns, é um dado primordial, um privilégio e mesmo uma graça. Não têm necessidade de adquiri-la, de procurá-la: são predestinados a ela. Todas as suas experiências contribuem para torná-los transparentes diante de si mesmos. Atingidos pela clarividência, não sofrem com isso, de tanto que ela os define. Se vivem numa crise permanente,… Continue lendo “Fitzgerald: a experiência pascalina de um romancista americano” (E.M. Cioran)

An admiration of F. Scott Fitzgerald

HTMLGIANT - The Internet Literature Magazine Blog of the Future, April 12th, 2013 Anathemas and Admirations by E. M. Cioran Arcade Publishing, Nov 2012 272 pages / $14.95 E.M. Cioran’s work indicates the caustic philosophical consequences of sleepless rumination upon insignificance and failure. It is thick with anxiety, but retains buoyancy, the sick humour of… Continue lendo An admiration of F. Scott Fitzgerald

“Espírito de porco” (Bernardo Carvalho)

Folha de S. Paulo, "Ilustrada", 10 de fevereiro de 2001 Admirar E. M. Cioran (1911-95), autor de "Exercícios de Admiração", não é uma tarefa simples. Porque é o lado vil e demasiado humano que o pensador de origem romena, que se mudou para a França em 1937, destaca, não só nos autores sobre os quais… Continue lendo “Espírito de porco” (Bernardo Carvalho)

Cioran (fragmento de um diário)

Por Fernando Lima Blog: Literatura e Crítica Cultura Releio Cioran: Exercícios de Admiração. Esse romeno de formação francesa, que muito à vontade declara a ambição de escrever em francês melhor do que os próprios franceses, é sem dúvida um filósofo escritor. O traço talvez mais saliente dos ensaios curtos e textos de circunstância que compõem… Continue lendo Cioran (fragmento de um diário)

“O castelo do terror metafísico” (Caio Liudvik)

Guia da Folha, Folha de S. Paulo, 27 agosto 2011 "Só uma geração desiludida poderia se entusiasmar por uma visão tão negativa da história. Só da história? Da existência em geral. É preciso reconhecer que a vida não resiste a uma interrogação séria e que é difícil, e mesmo impossível, atribuir um sentido ao que… Continue lendo “O castelo do terror metafísico” (Caio Liudvik)