“Fitzgerald: a experiência pascalina de um romancista americano” (E.M. Cioran)

A LUCIDEZ, em alguns, é um dado primordial, um privilégio e mesmo uma graça. Não têm necessidade de adquiri-la, de procurá-la: são predestinados a ela. Todas as suas experiências contribuem para torná-los transparentes diante de si mesmos. Atingidos pela clarividência, não sofrem com isso, de tanto que ela os define. Se vivem numa crise permanente,… Continue lendo “Fitzgerald: a experiência pascalina de um romancista americano” (E.M. Cioran)