“«Dialética da indolência»: heresia e idiotismo contra a tirania da positividade tóxica” – Rodrigo Menezes

Quis suprimir em mim as razões que os homens invocam para existir e para agir. Quis tornar-me indizivelmente normal – e eis-me aqui, no embrutecimento, no mesmo plano que os idiotas e tão vazio como eles.Breviário de decomposição, p. 62 Ser mais inutilizável que um santo...Silogismos da amargura, p. 75 Cioran e Byung-Chul Han coincidem… Continue lendo “«Dialética da indolência»: heresia e idiotismo contra a tirania da positividade tóxica” – Rodrigo Menezes

“La canción de quien quiso ser el hijo del verdugo” – George STEINER

Cuadernos hispanoamericanos, nr. 573, marzo 1998 ¿Qué tenemos aquí? Un leviatán de mil páginas que dice ser el texto íntegro de 34 cuadernos, idénticos en formato, que E. M. Cioran completó entre los veranos de 1957 y 1972. Dichos cuadernos fueron descubier- tos a la muerte de Cioran por Simone Boué, una de las pocas… Continue lendo “La canción de quien quiso ser el hijo del verdugo” – George STEINER

Os judeus segundo Cioran

Mon intérêt profond pour les Juifs et pour tout ce qui est juif. Des cas, tous. Simone Weil, Kafka. Des figures d'un autre monde. Eux seuls ont du mystère. Les non-Juifs sont trop évidents. Meu profundo interesse pelos judeus e por tudo o que é judaico. Casos, todos. Simone Weil, Kafka. Figuras de um outro… Continue lendo Os judeus segundo Cioran

“Filosofia e mística em Simone Weil” (Maria Clara Lucchetti Bingemer)

Revista CULT, no. 64, 2002 (edição especial "Cristianismo e modernidade") A pensadora francesa que viveu os dilaceramentos da Segunda Guerra Mundial encontrou na vulnerabilidade da carne humana um caminho para a união com Deus e para a redenção Simone Weil (1909-1943) nasceu em Paris, filha de uma família de origem judaica. Seu pai era um… Continue lendo “Filosofia e mística em Simone Weil” (Maria Clara Lucchetti Bingemer)

“Êxtase, não-saber e experiências interiores: um diálogo inaudito entre Cioran e Bataille” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

Conhece-se um autor ou uma autora não apenas pela leitura da sua obra, também -- indiretamente, por uma espécie de détour -- pela maneira como ele ou ela se insere no seu contexto histórico e sócio-cultural, o qual pode ser delimitado de forma mais ou menos ampla (uma tribo, um país, um continente, um planeta),… Continue lendo “Êxtase, não-saber e experiências interiores: um diálogo inaudito entre Cioran e Bataille” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

“Cioran, a obsessão de um ateu por Deus” (Roberto Righetto)

INSTITUTO HUMANITAS UNISINOS, 7 de agosto de 2018 “Ajuda-me, Senhor, a esgotar o desgosto e a piedade por mim mesmo, a não sentir mais o infinito horror!” “Em mim tudo termina em oração e em blasfêmia, tudo se torna invocação e rejeição.” “No cúmulo das minhas dúvidas, preciso de uma sombra de absoluto, um pouco… Continue lendo “Cioran, a obsessão de um ateu por Deus” (Roberto Righetto)