“Animales Cínicos” – Leopoldo Tillería AQUEVEQUE

Griot : Revista de Filosofia, [S. l.], v. 21, n. 1, p. 341-353, 2021. [PDF] Resumo: Junto a las reprimendas de Diógenes el Perro, la filosofía de la amargura de Émile Cioran y el neo-Cinismo de Peter Sloterdijk, se conformaría –en opinión del autor- un linaje Cínico que habla por sí mismo, pese a sus diferencias… Continue lendo “Animales Cínicos” – Leopoldo Tillería AQUEVEQUE

“Everyone Will Have A Device In Their Pockets”: Alan Watts Foresees the Smartphone and Social Media

https://www.youtube.com/watch?v=Qqi_YRXCevU Alan Watts examines communication and our methods of communication. Either by television or by radio, or by phones, our communication differ from one medium to the other. And so, we are not communicating in the same way, using different mediums. Alan Watts goes even deeper in his analysis, and describes how the medium controls… Continue lendo “Everyone Will Have A Device In Their Pockets”: Alan Watts Foresees the Smartphone and Social Media

PAWEL KUCZYNSKI: “Imagens inquietantes e sarcástica sobre as contradições humanas” (Giseli Betsy)

OBVIOUS MAG - Com uma crítica cruel, penetrante e inteligente, as obras de Pawel Kuczynski são um convite para nos fazer refletir sobre assuntos sérios e atuais. Seus desenhos nos trazem mensagens, reflexões, denuncias e críticas. Afinal não é esta a principal função da arte? Artes que carregam em si mais do que formas e… Continue lendo PAWEL KUCZYNSKI: “Imagens inquietantes e sarcástica sobre as contradições humanas” (Giseli Betsy)

“Prometeu desacorrentado – a responsabilidade pelos viventes vindouros na filosofia de Hans Jonas (1903 – 1993)” (Eduardo Carli de Moraes)

A CASA DE VIDRO

PROMETEU DESACORRENTADO

A responsabilidade pelos viventes vindouros na filosofia de Hans Jonas (1903 – 1993). Comentários sobre “O Princípio Responsabilidade – Ensaio de uma Ética para a Civilização Tecnológica” [Wikipedia]

por Eduardo Carli de Moraes / A Casa de Vidro.com

Conta a lenda que Prometeu, após ter roubado o fogo do Olimpo para presenteá-lo aos mortais, foi punido por um Zeus furibundo e vingativo. Os suplícios que Zeus aplica a seus desafetos são um manual prático de crueldade e sadismo – que o digam Sísifo, Tântalo, Íxion e as Danaides – e com Prometeu, o ladrão do fogo, a fúria divina também se manifesta em todo o esplendor de sua violência. O titã transgressor é acorrentado por Hefesto a uma rocha, para em seguida ser submetido a uma tortura infinda: uma águia almoça todos os dias o seu fígado, em carne viva, e a cada novo dia o fígado…

Ver o post original 5.928 mais palavras

Entrevista com John Gray: “O conhecimento não liberta o homem, apenas aumenta seu poder”

FRONTEIRAS DO PENSAMENTO por Thereza Venturoli, 14/12/2016 "A mensagem central de Cachorros de Palha não é de desesperança, mas de libertação. O que eu pretendo é sugerir ao leitor: leve sua vida da maneira mais bela e inteligente possível, pois o destino da Terra não está sobre seus ombros. Na verdade, foi assim que viveu a maioria dos milhões… Continue lendo Entrevista com John Gray: “O conhecimento não liberta o homem, apenas aumenta seu poder”

“Cachorros de palha: 10 anos” – Uma entrevista com John Gray

Por Cássio Leite Vieira, Ciência Hoje, vol. 50, no. 298, novembro de 2012 [PDF] Cachorros de palha, livro que comemora 10 anos de lançamento, foi – e continuará sendo – polêmico. Seu autor, o filósofo político britânico John Gray, ex-catedrático de pensamento europeu na London School of Economics, foi – e continuará sendo – tachado… Continue lendo “Cachorros de palha: 10 anos” – Uma entrevista com John Gray

“Liberdade para as Über-marionetes” – John GRAY

Existe um tipo de brinquedo que vem se multiplicando há algum tempo,e sobre o qual nada tenho de bom ou ruim a dizer. Refiro-me ao brinquedo científico. Ch. Baudelaire, "A filosofia dos brinquedos" O QUE A CIÊNCIA NÃO NOS DIZ Em seu romance antiutópico sobre um país fictício, Erewhon (anagrama do inglês "nowhere", lugar nenhum),… Continue lendo “Liberdade para as Über-marionetes” – John GRAY

“A bicicleta de Cioran” (José Tolentino Mendonça)

A Revista Expresso, no. 2276, 10/06/16 Entre a serenidade e o sangue, é para o sangue que nos inclinamos. As nossas células viciaram-se na vertigem interminável Uma das coisas que me apaixona na biografia do filósofo E. M. Cioran (1911-1995) é o seu amor por viagens de bicicleta. Percorreu dessa maneira grande parte de França,… Continue lendo “A bicicleta de Cioran” (José Tolentino Mendonça)