“O heroísmo do presente” – Katia MURICY

Revista Tempo Social (USP), vol. 7 (1-2), outubro de 1995, pp. 31-44. RESUMO: Uma aproximação da história do presente de Michel Foucault da concepção de história de Walter Benjamin, a partir de suas análises sobre a visão de modernidade como construção do tempo na obra de Baudelaire. Palavras-chave: Foucault, Benjamin, Baudelaire, História, História do presente, Tempo,… Continue lendo “O heroísmo do presente” – Katia MURICY

“Da dignidade ontológica da literatura” – Jeann-Marie GAGNEBIN

Revista Rapsódia, (8), 2014, p. 51-67 O título bastante pomposo dessa conferência vem da hipótese que gostaria de desenvolver com vocês: na paisagem filosófica contemporânea, em particular no domínio pleno de relações tumultuosas entre filosofia e literatura, Paul Ricœur ocupa um lugar privilegiado. Sem curvar a filosofia sobre uma forma específica de literatura nem a… Continue lendo “Da dignidade ontológica da literatura” – Jeann-Marie GAGNEBIN

“Eternidade e tempo em Plotino” (José Carlos Baracat Júnior)

O GTneoplatonismo recebe o professor Baracat Júnior tratando das relações entre Eternidade e Tempo nas Enéadas de Plotino. https://www.youtube.com/watch?v=3BonNrQz2TU&t=378s https://www.youtube.com/watch?v=etWzzOcE-Fs&t=7s https://www.youtube.com/watch?v=N-ytSz1NBPU

“A vida como in-eternidade, ou as revelações da dilaceração” (Emil Cioran)

Retumbam em ti as épocas geológicas? Se não, por que então falas do tempo? Foste o mar onde se derramaram os rios do tempo? Se não, por que se orgulhar da História? Reuniste todas as lágrimas que não secaram e as derramaste de novo para devolvê-las à terra e consolar os olhos e o coração?… Continue lendo “A vida como in-eternidade, ou as revelações da dilaceração” (Emil Cioran)

“Pessimismo filosófico: a negatividade integrada na vida” (Ingresson Oliveira de Jesus)

Revista Pandora, no. 99, março de 2019 Resumo: O presente artigo busca apresentar a filosofia negativa de Cioran e, desse modo, desenvolver ideias sobre a produção intelectual do filósofo. O pessimismo filosófico, corrente de pensamento que caracteriza a filosofia de diversos pensadores inclui uma reflexão sobre o mundo e a physis. No contexto dessa corrente… Continue lendo “Pessimismo filosófico: a negatividade integrada na vida” (Ingresson Oliveira de Jesus)

“A Grande Tentação” – CIORAN

A perda da consciência de ser criatura: odiamos tudo o que é ser; deixamos de ser solidários com todas as criaturas junto às quais uma vez ornamentamos o paraíso. Quando odiamos os animais, odiamos a base de nossa vida. Queremos escapar totalmente da ordem das criaturas. Por que então, quando nos abandona a sensação de… Continue lendo “A Grande Tentação” – CIORAN

“Aceleração e depressão” – Maria Rita KEHL

Aquele que, por distração ou incompetência, detiver, ainda que só por um momento, a marcha da humanidade, será seu salvador.CIORAN, Silogismos da amargura https://youtu.be/kwxyT5n6E9o Temos fôlego para acompanhar os relógios apressados dos dias de hoje? O tempo dos relógios e calendários continua o mesmo, mas a nossa vida parece mais acelerada. Neste Café Filosófico, a… Continue lendo “Aceleração e depressão” – Maria Rita KEHL

“Virando as costas ao tempo” (E.M. Cioran)

Ontem, hoje, amanhã: categorias para uso de criados. Para o ocioso suntuosamente instalado no Desconsolo, e ao qual todo instante aflige, passado, presente e futuro são somente aparências variáveis do mesmo mal, idêntico em sua substância, inexorável em sua insinuação e monótono em sua persistência. E esse mal possui a mesma extensão do ser, é… Continue lendo “Virando as costas ao tempo” (E.M. Cioran)

“O que é o trágico?” (Clément Rosset)

Antes de responder a esta pergunta inicial, impõe-se uma precaução preliminar: não pretendo fazer aqui uma interpretação do Trágico. Apenas desejo fazer a sua descrição, e a ideia de uma interpretação compromete toda possibilidade de descrição. Pode-se inclusive dizer que o rechaço de toda interpretação é tão mais indispensável em nosso assunto tanto mais quanto… Continue lendo “O que é o trágico?” (Clément Rosset)

“Tempo sem experiência” – Olgária MATOS

Uma reflexão sobre o tempo sem experiência da contemporaneidade. Como a atual aceleração da sociedade cria a sensação de que não há tempo para nada. Na realidade, são os próprios mecanismos sociais e econômicos que necessitam dessa situação. As diferenças entre tédio e monotonia podem caracterizar diferentes formas de se relacionar com o tempo. A… Continue lendo “Tempo sem experiência” – Olgária MATOS