“A revolta metafísica” – Albert CAMUS

A revolta metafísica é o movimento pelo qual um homem se insurge contra a sua condição e contra a criação. Ela é metafísica porque contesta os fins do homem e da criação. O escravo protesta contra tal condição no interior de seu estado de escravidão; o revoltado metafísico, contra sua condição na qualidade de homem.… Continue lendo “A revolta metafísica” – Albert CAMUS

“A fraqueza de Deus” – Marilia FIORILLO

O que sabiam os gnósticos? A ponto de torná-los tão incômodos, indesejáveis, ameaçadores? Não eram segredos ocultos, fórmulas mágicas, amuletos encantados, abracadabras. O que os gnósticos conheciam era o poder da imaginação. Conheciam e punham em prática. Pois o gnosticismo é tudo, menos um quietismo. As nuances das doutrinas gnósticas são tantas que, até hoje,… Continue lendo “A fraqueza de Deus” – Marilia FIORILLO

“La respuesta de Job” – Gregorio del OLMO

Fundación Juan March, 6 de octubre de 2016 https://www.youtube.com/watch?v=RlNbKiOvhKw Gregorio del Olmo, catedrático emérito de Lengua y Literatura Hebreas de la Universidad de Barcelona, analiza el libro de Job desde una perspectiva intertextual, con referencias a los orígenes en las culturas de Mesopotamia y prestando especial atención a la tematización del dolor y de los… Continue lendo “La respuesta de Job” – Gregorio del OLMO

“Perdas: o fim das teodicéias modernas” – Susan NEIMAN

Muitas vezes alega-se que Auschwitz acabou com as crenças anteriores de que o progresso era inevitável, mas tais alegações pressupõem uma ingenuidade que poucos textos conseguem suportar. Vimos o ceticismo quanto à capacidade da humanidade de melhorar permear a obra de pensadores iluministas tão profundamente opostos entre si quanto Voltaire e Rousseau. Em 1794, ao… Continue lendo “Perdas: o fim das teodicéias modernas” – Susan NEIMAN

“Ivã Karamazov devolve a entrada” – John GRAY

Um contemporâneo russo de Dostoievski, o crítico e reformista social Nikolai Mikhailovsky, referiu-se ao escritor como "um talento cruel". Ele tinha em mente, para começo de conversa, o tormento psicológico a que narrador da novela Notas do subterrâneo (1863) submete Liza, urna prostitui de quem se aproxima. Escreve Mikhailovsky: Não há motivos para sua maldade… Continue lendo “Ivã Karamazov devolve a entrada” – John GRAY

“Ensaio sobre o pensamento reacionário”: De Maistre e a ateodicéia gnóstica de Cioran

O problema do mal só perturba realmente alguns delicados, alguns céticos, revoltados pela maneira como o crente se conforma com ele ou o escamoteia. É para esses então que, em primeiro lugar, se dirigem as teodiceias, tentativas de humanizar Deus, acrobacias desesperadas que fracassam e se comprometem no seu próprio terreno, desmentidas a cada instante… Continue lendo “Ensaio sobre o pensamento reacionário”: De Maistre e a ateodicéia gnóstica de Cioran

“Do ennui ao êxtase: Cioran e o sentimento religioso da existência” – Rodrigo MENEZES

Quanto mais perco minha fé no mundo, mais estou em Deus, sem crer nele. – Será uma doença misteriosa, ou uma nobreza do espírito e do coração, que te faz ser ao mesmo tempo cético e místico?CIORAN, Amurgul gândurilor [O Crepúsculo dos Pensamentos] (1940) A acusação de “irracionalismo” oculta, muitas vezes, a defesa de um… Continue lendo “Do ennui ao êxtase: Cioran e o sentimento religioso da existência” – Rodrigo MENEZES

“Schopenhauer: o mundo como tribunal” – Susan NEIMAN

Considerem Schopenhauer um ponto de exclamação. Ele estava fora de sintonia com sua época, um século que via esforçando-se para se livrar de Kant e brindar à saúde de Leibniz (Schopenhauer 1:510). Kant deu expressão metafísica à crise e à fratura. Aqueles que o sucederam buscaram curá-la. Velhos modelos de Providência eram incapazes de sobreviver… Continue lendo “Schopenhauer: o mundo como tribunal” – Susan NEIMAN

“Fogo no Céu” – Susan NEIMAN

A filosofia não faz nenhum segredo disso. A confissão de Prometeu, “Em uma palavra, odeio todos os deuses”, é sua própria confissão, sua própria frase contra todos os deuses celestes e terrenos que se recusam a reconhecer a autoconsciência humana como a suprema divindade — ao lado da qual nenhuma outra deveria existir.— Marx, Dissertação… Continue lendo “Fogo no Céu” – Susan NEIMAN

“Restos: Camus, Arendt, Teoria Crítica, Rawls” – Susan NEIMAN

Em um tributo ao rei Afonso, Hans Blumenberg escreveu que a era moderna começou com um ato de teodicéia (Blumenberg 2, 307). Será que ela termina com a percepção de que qualquer ato desse tipo é inútil? A reflexão política e histórica sobre casos específicos de mal e a esperança de uma resistência específica que… Continue lendo “Restos: Camus, Arendt, Teoria Crítica, Rawls” – Susan NEIMAN