Biografia de Cioran comentada e ilustrada: os anos romenos (1911-1937) | Live temática no YT

Começa-se normalmente pelo "segundo nascimento de Cioran", conforme se refere Patrice Bollon ao marco divisor da obra, o Breviário de decomposição, o premiado livro de estreia do autor romeno em língua francesa, desconhecendo em maior ou menor medida a biografia pregressa do pensador transilvano, muitas vezes ignorando que, antes de adotar o francês como língua… Continue lendo Biografia de Cioran comentada e ilustrada: os anos romenos (1911-1937) | Live temática no YT

Cioran: “Política da Heresia Permanente” – Patrice BOLLON

"O jovem Cioran não é menos herético no plano político. Se a vontade de grandeza à qual ele incita parece encontrar sua ilustração 'natural' no hitlerismo dos anos 1933-35, ela pode muito bem comportar, para ele, um bolchevismo 'bem compreendido'. Todo Schimbarea [Transfiguração da Romênia] ressoa declarações de admiração a Lenin e à revolução russa,… Continue lendo Cioran: “Política da Heresia Permanente” – Patrice BOLLON

“Cioran, el filósofo del insomnio” (Charles Simic)

Revista Global, República Dominicana, n. 89 Giselle Rodríguez Cid traduce el ensayo «E. M. Cioran: el filósofo del insomnio» de Charles Simic, en el que expone los años de formación del filósofo rumano y sus desacertadas simpatías por movimientos totalitarios que, por el bien de la filosofía, logró superar. ¿Quién lee a Cioran hoy en… Continue lendo “Cioran, el filósofo del insomnio” (Charles Simic)

“Exegese da decadência” (E.M. Cioran)

O aforismo "Exegese da decadência" retoma -- sob uma outra luz, pelo filtro de um novo idioma e da forma mentis peculiar que ele modela -- a temática e a problemática de um importante texto periodístico de juventude do autor romeno do Breviário de decomposição: trata-se de Nihilism şi natura [Niilismo e natureza], publicado originalmente na revista… Continue lendo “Exegese da decadência” (E.M. Cioran)

“Cioran não ficou imune aos equívocos políticos, o pecado original dos filósofos” (José Thomaz Brum)

O Globo, 20 de janeiro de 1996 A filosofia de Cioran não constitui uma arquitetura abstrata de conceitos ideais. Meditação fundamentalmente impura, deriva de um estado de espírito, de uma obsessão mais do que se uma ideia a priori. Filósofo que parte dos afetos, das "misérias do eu", Cioran conheceu, em sua reflexão errática, momentos… Continue lendo “Cioran não ficou imune aos equívocos políticos, o pecado original dos filósofos” (José Thomaz Brum)

“Emil Cioran” (Till Kinzel)

La Torrey del Virrey - Instituto de Estudios Culturales Avanzados, mayo 2016 Till Kinzel es profesor de Literatura Inglesa y Americana contemporáneas en la Technischen Universität Braunschweig. Su último libro es Michael Oakeshott: Philosoph der Politik (2007). Se podría considerar de lo más apropiado que uno de los pensadores más amargos del siglo XX, un… Continue lendo “Emil Cioran” (Till Kinzel)

O jovem Cioran e sua tradução do romeno: entrevista com Fernando Klabin, tradutor de Nos Cumes do Desespero (Hedra, 2012)

Nascido em São Paulo numa família de origens russa e italiana, Fernando Klabin viveu durante muitos anos na Romênia, onde graduou-se em Ciências Políticas pela Universidade de Bucareste. Nos últimos quinze anos, Klabin tem enriquecido o mercado editorial brasileiro com traduções de obras do inglês, do alemão e especialmente do romeno. Ele traduziu, diretamente do… Continue lendo O jovem Cioran e sua tradução do romeno: entrevista com Fernando Klabin, tradutor de Nos Cumes do Desespero (Hedra, 2012)

Marta Petreu sau despre fascinatia – maligna – a lui Cioran (Sorin Alexandrescu)

Sorin ALEXANDRESCU, Observator Cultural - Spiritul Critic in Actiune Marta PETREU - Un trecut deocheat sau „Schimbarea la fata a Romaniei“ Biblioteca Apostrof, Colectia „Ianus“, Cluj, 1999, 440 p, f.p. Iesirea din complex Cartea Martei Petreu este prima incercare de analiza serioasa, la nivel de volum, a unei carti si a multor articole ale lui Cioran,… Continue lendo Marta Petreu sau despre fascinatia – maligna – a lui Cioran (Sorin Alexandrescu)

Trei cărţi de Cioran (Marta Petreu)

Marta Petreu, articol în Apostrof - Revista Uniunii Scriitorilor, anul XX, 2009, nr. 6 (229)Dintre Eliade, Ionescu şi Cioran, cei trei glorioşi ai generaţiei ’27, Cioran a fost cel din urmă care a ajuns la glorie internaţională. Şi tot el este cel care, după moarte, se bucură de un interes în creştere. Răşinăreanul eternizat la Paris nu încetează… Continue lendo Trei cărţi de Cioran (Marta Petreu)

“Cioran y el fascismo” (José Ignacio Nájera)

Articulo inédito de José Ignacio Nájera, autor del libro El universo malogrado - carta a Cioran (Ediciones Tres Fronteras, Murcia, 2008). I - Escenarios y personajes Cuando Cioran constató que se había secado literariamente tomó la determinación de que se tradujeran al francés sus obras rumanas, y así sucedió a partir de 1986. Su amigo Constantin… Continue lendo “Cioran y el fascismo” (José Ignacio Nájera)