“Living without belief or unbelief” – John GRAY

The God of monotheism did not die, it only left the scene for a while in order to reappear as humanity – the human species dressed up as a collective agent, pursuing its self-realization in history. But, like the God of monotheism, humanity is a work of the imagination. The only observable reality is the… Continue lendo “Living without belief or unbelief” – John GRAY

“Viver sem crença nem descrença” – John GRAY

O Deus do monoteísmo não morreu, apenas saiu de cena por algum tempo para reaparecer como humanidade — a espécie humana caracterizada como agente coletivo em busca da autorrealização na história. Entretanto, assim como o Deus do monoteísmo, a humanidade é obra da imaginação. A única realidade suscetível de ser observada é o animal humano… Continue lendo “Viver sem crença nem descrença” – John GRAY

“From Nietzsche to Ayn Rand” – John GRAY

Few thinkers were more different than Henry Sidgwick and Friedrich Nietzsche. Sidgwick was unfailingly conscientious in his pursuit of truth, Nietzsche an intellectual adventurer who came to doubt the value of truth. Yet the two converged on a vital point. Once theism is left behind, not only much of religious morality but ‘morality’ itself must… Continue lendo “From Nietzsche to Ayn Rand” – John GRAY

“O niilismo extático como instrumento da Grande política” – Yannis CONSTANTINIDÈS

Cadernos Nietzsche, nr. 22, 2007 Resumo: Ainda se cai no engano de julgar Nietzsche um niilista, não obstante seu esforço para curar o epidêmico “niilismo europeu” através de uma consciente aceleração do curso deste. Somente um niilismo “conseqüente em ação”, extático, será capaz de evitar o perigo do desespero estéril das diferentes formas de “niilismo… Continue lendo “O niilismo extático como instrumento da Grande política” – Yannis CONSTANTINIDÈS

Filosofia da Animalidade, Vitalismo e Mortalismo, Cioran na Argentina e o “Nada Sulamericano”: em diálogo com Gustavo Romero (Argentina)

A terceira live tertúlia de 2021, realizada em 28 de maio e transmitida no YouTube, contou com a presença de Gustavo Romero, filósofo e professor da Universidad de Buenos Aires (UBA) https://www.youtube.com/watch?v=l4vjoZiGGbI&t=5411s Além dos comentários contextuais e metateóricos acerca da recepção da obra de Cioran na Argentina, dentro e fora da Academia, Gustavo teceu importantes… Continue lendo Filosofia da Animalidade, Vitalismo e Mortalismo, Cioran na Argentina e o “Nada Sulamericano”: em diálogo com Gustavo Romero (Argentina)

“O homem: corda sobre um abismo, passagem e declínio” – NIETZSCHE

Mas Zaratustra olhou para o povo e se admirou. Então falou assim: O homem é uma corda, atada entre o animal e o super-homem — uma corda sobre um abismo. Um perigoso para-lá, um perigoso a-caminho, um perigoso olhar-para-trás, um perigoso estremecer e se deter. Grande, no homem, é ser ele uma ponte e não… Continue lendo “O homem: corda sobre um abismo, passagem e declínio” – NIETZSCHE

“Liberdade para as Über-marionetes” – John GRAY

Existe um tipo de brinquedo que vem se multiplicando há algum tempo,e sobre o qual nada tenho de bom ou ruim a dizer. Refiro-me ao brinquedo científico. Ch. Baudelaire, "A filosofia dos brinquedos" O QUE A CIÊNCIA NÃO NOS DIZ Em seu romance antiutópico sobre um país fictício, Erewhon (anagrama do inglês "nowhere", lugar nenhum),… Continue lendo “Liberdade para as Über-marionetes” – John GRAY