“N. Cavaillès, B. Scapolo, Cioran et Valéry. L’attention soutenue” – Fabio SCOTTO

Studi Francesi - Rivista quadrimestrale fondata da Franco Simone, 183 (LXI | III) | 2017. Rassegna Bibliografica - Novecento e XXI secolo.Notizia bibliografica: Nicolas Cavaillès, Barbara Scapolo, Cioran et Valéry. L’attention soutenue, Paris, Classiques Garnier, 2016, «Perspectives comparatistes» 42, 189 pp. Questo singolare volume a quattro mani nasce dall’incontro fra due autorevoli specialisti, al primo dei quali si deve, tra l’altro, la… Continue lendo “N. Cavaillès, B. Scapolo, Cioran et Valéry. L’attention soutenue” – Fabio SCOTTO

“Paul Valéry – estudos filosóficos” – Brutus Abel Fratuce Pimentel

Tese apresentada ao programa de Pós-Graduação em Filosofia do Departamento de Filosofia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, para obtenção do título de Doutor em Filosofia, sob a orientação da Profa. Dra. Olgária Matos (2008). RESUMO Brutus Abel, Paul Valéry - Estudos filosóficos, Tese (Doutorado), Departamento de Filosofia,… Continue lendo “Paul Valéry – estudos filosóficos” – Brutus Abel Fratuce Pimentel

“Mihail Eminesco” – E.M. Cioran

Este breve ensaio compõe a primeira versão do Breviário de decomposição (1949), o début literário em língua francesa de Emil (doravante E. M.) Cioran, tendo sido excluído da versão final que ganharia, em 1950, o Prix Rivarol para jovens escritores estrangeiros. A versão inicial do Précis, intitulada Exercices négatifs, foi publicada postumamente, em 2005, numa… Continue lendo “Mihail Eminesco” – E.M. Cioran

“O princípio de incerteza” – Clément ROSSET

“A necessidade de uma fé forte não é prova de fé forte, é, isso sim, o contrário. Se alguém tem essa fé, pode permitir-se o luxo do ceticismo.”Nietzsche, O Crepúsculo dos ídolos Montaigne sugere, em uma passagem da Apologia de Raimond Sebond, uma definição da verdade filosófica tão desconcertante quanto pertinente: “Duvido que Epicuro, Platão… Continue lendo “O princípio de incerteza” – Clément ROSSET

Ensayo sobre Cioran (introdução) – Fernando SAVATER

Conceber um pensamento, um único pensamento, mas que fizesse em pedaços o universo. Le mauvais démiurge Já que se trata de fazer uma tese, escolhamos ao menos um tema impossível: que o fracasso em que há de culminar nosso trabalho não seja simples fruto da incúria ou da incompetência, mas da premeditação. Suponho que uma… Continue lendo Ensayo sobre Cioran (introdução) – Fernando SAVATER

“Desígnio e tarefa da lucidez”: primeiro capítulo do Ensayo sobre Cioran, de F. SAVATER

A verdadeira vertigem é a ausência de loucura.La chute dans le temps Será preciso determinar, em primeiro lugar, o que entenderemos por lucidez. Como não pretendo utilizar esta palavra de um modo especial ou inusual, deverei ater-me à definição que dela me brinda o dicionário; talvez possamos encontrar em tal definição os traços que gostaríamos… Continue lendo “Desígnio e tarefa da lucidez”: primeiro capítulo do Ensayo sobre Cioran, de F. SAVATER

“Lecturi voyeuriste. Despre Cioran, cititorul” – Simona MODREANU

Dilema Veche, nr. 330, 10-16 iunie 2010 Orice lectură e o intruziune, la urma urmei, chiar dacă una dorită, premeditată de autor. Iar printre multiplele modalităţi oblice, uşor perverse, de apropriere a unui scriitor e şi cea a curiozităţii axate pe lecturile celui care ne-a devenit necesară lectură. Nici în această privinţă, Cioran nu se… Continue lendo “Lecturi voyeuriste. Despre Cioran, cititorul” – Simona MODREANU

Memória (n.t.): “Do pomar maldito de Cioran”, por Correia de Sá

(n.t.) Revista literária em tradução, ano IX - 2º vol., Dez. 2019 (edição bilíngue semestral), Brasil O TEXTO: Em um de seus cadernos, Cioran escreveu acerca de um artigo que havia sido publicado em um jornal brasileiro sobre sua obra, em 1968, referindo-se ao seu autor: “No Jornal do Commercio do Rio de Janeiro, em… Continue lendo Memória (n.t.): “Do pomar maldito de Cioran”, por Correia de Sá

“La canción de quien quiso ser el hijo del verdugo” – George STEINER

Cuadernos hispanoamericanos, nr. 573, marzo 1998 ¿Qué tenemos aquí? Un leviatán de mil páginas que dice ser el texto íntegro de 34 cuadernos, idénticos en formato, que E. M. Cioran completó entre los veranos de 1957 y 1972. Dichos cuadernos fueron descubier- tos a la muerte de Cioran por Simone Boué, una de las pocas… Continue lendo “La canción de quien quiso ser el hijo del verdugo” – George STEINER

« Cioran, aristocrate du doute » : Magazine Littéraire

Magazine Littéraire, nr. 327, decembre 1994 Dans ce qui demeure, sans nul doute, avec La Tentation d’exister, son meilleur livre, Exercices d'admiration, Cioran présente Borges comme « le dernier des délicats ». Un compliment qu’ont pourrait renvoyer à son auteur. Car si le scepticisme et la lucidité - donc une parole totalement libre - se… Continue lendo « Cioran, aristocrate du doute » : Magazine Littéraire