“As vantagens da debilidade” – CIORAN

O indivĂ­duo que nĂŁo ultrapassa sua qualidade de belo exemplar, de modelo acabado, e cuja existĂȘncia confunde-se com seu destino vital, coloca-se fora do espĂ­rito. A masculinidade ideal – obstĂĄculo Ă  percepção das nuanças – comporta uma insensibilidade em relação ao sobrenatural cotidiano, de onde a arte extrai sua substĂąncia. Quanto mais natureza se Ă©,… Continue lendo “As vantagens da debilidade” – CIORAN

Publicidade

Cioran e Keats: o imperativo da intensidade e poéticas do grotesco

Segundo o tradutor PĂ©ricles EugĂȘnio da Silva Ramos, o princĂ­pio da intensidade desempenha um papel fundamental na poĂ©tica de John Keats (1795-1821). Em 21 de dezembro de 1817, o poeta inglĂȘs escreveria, em carta ao irmĂŁo George, que "a excelĂȘncia de toda arte estĂĄ em sua intensidade, capaz de fazer o desagradĂĄvel ('all desagreeables') evaporar… Continue lendo Cioran e Keats: o imperativo da intensidade e poĂ©ticas do grotesco

“A fraqueza faz a força” (Contardo Calligaris)

Folha de S. Paulo, 4 de fevereiro de 2010 O ideal masculino hoje Ă© o homem corroĂ­do ou, no mĂ­nimo, arranhado por demĂŽnios internos  NA SEMANA passada, escrevi sobre a dilacerante tristeza dos crepĂșsculos. Uma leitora, JĂșlia Hokama, perguntou-me, brincando: "Psicanalistas tambĂ©m sofrem de melancolia?". Bom, em "Uma Mente Inquieta" (WMF Martins Fontes), Kay Redfield… Continue lendo “A fraqueza faz a força” (Contardo Calligaris)

“As vantagens da debilidade e o pensador de ocasiĂŁo, em Emil Cioran” – Rossano Silva QUEIROGA

Revista ExtemporĂąnea, Ano I, No. I, Mar/2013 - ISSN 2318-0293, Campina Grande-PB [PDF] Resumo: O presente artigo tem por objetivo investigar, a partir de BreviĂĄrio de decomposição (1949), a proposta, lançada por Cioran, que destaca “o pensador de ocasiĂŁo” como fundamento que revela o interior de sua filosofia, que por sua vez, baseia-se nos paroxismos orgĂąnicos como forma vital para o conhecimento.… Continue lendo “As vantagens da debilidade e o pensador de ocasiĂŁo, em Emil Cioran” – Rossano Silva QUEIROGA