“O segundo Cioran e a campanha abolicionista da alma” – Rodrigo MENEZES

Uma das diferenças mais marcantes no pensamento de Cioran na passagem dos escritos romenos aos franceses, apĂłs a Segunda Guerra, Ă© a reação crĂ­tica, em nome da lucidez do espĂ­rito, Ă s ilusĂ”es das quais outrora fizera a apologia (ver O Livro das ilusĂ”es). "IlusĂŁo" se refere, antes de tudo, e fundamentalmente, Ă  ilusĂŁo de profundidade,… Continue lendo “O segundo Cioran e a campanha abolicionista da alma” – Rodrigo MENEZES

Publicidade

Abstração e empatia: Schopenhauer e a fundamentação da arte abstrata – Rosa G. GONÇALVES (UFBA)

https://www.youtube.com/watch?v=QyUWv5Dr7Us&t=2158s Rosa Gabriella Gonçalves (UFBA) - Abstração e empatia: a relevĂąncia de Schopenhauer para a fundamentação da arte abstrata Dentre as fundamentaçÔes que baseiam a necessidade da abstração, uma das mais interessantes provavelmente Ă© a de Wilhelm Worringer, historiador da arte que, sendo contemporĂąneo das vanguardas artĂ­sticas que se iniciavam nas experimentaçÔes abstratas, tradicionalmente vinculadas… Continue lendo Abstração e empatia: Schopenhauer e a fundamentação da arte abstrata – Rosa G. GONÇALVES (UFBA)

“O veneno abstrato” – CIORAN

MESMO nossos males vagos, nossas inquietudes difusas, quando degeneram em  fisiologia, convĂ©m, por um processo inverso, reconduzi-los Ă s manobras da inteligĂȘncia. E se alçåssemos o tĂ©dio – percepção tautolĂłgica do mundo, tĂȘnue ondulação da duração – Ă  dignidade de uma elegia dedutiva, se oferecĂȘssemos a ele a tentação de uma prestigiosa esterilidade? Sem o recurso… Continue lendo “O veneno abstrato” – CIORAN