“Twilight of the Gods” – Peter SLOTERDIJK

What should we say to the antimodernist hysteria that has been blazing for centuries, now that it alleges that the human being would like to “become like God”? And if the answer were that, according to basic Christian doctrine, God wanted to become human, should anyone be surprised then that humans’ certainty of their distinguished… Continue lendo “Twilight of the Gods” – Peter SLOTERDIJK

Publicidade

“Por uma suspensĂŁo teolĂłgico-polĂ­tica do Ă©tico” – Slavoj ĆœIĆœEK

Se no passado fingimos publicamente acreditar enquanto permanecĂ­amos cĂ©ticos na vida privada, ou ainda envolvidos na troça obscena de nossas crenças pĂșblicas, hoje tendemos publicamente a professar nossa atitude cĂ©tica, hedonista e relaxada, enquanto na vida privada continuamos acossados pelas crenças e proibiçÔes severas. Nisso consiste, para Jacques Lacan, a consequĂȘncia paradoxal da experiĂȘncia de… Continue lendo “Por uma suspensĂŁo teolĂłgico-polĂ­tica do Ă©tico” – Slavoj ĆœIĆœEK

“Os seguidores de Schopenhauer” – NIETZSCHE

Os seguidores de Schopenhauer. — O que se percebe no contato entre povos civilizados e bĂĄrbaros: que normalmente a cultura inferior começa por tomar os vĂ­cios, fraquezas e excessos da superior, a partir daĂ­ sente alguma atração por esta e, enfim, mediante os vĂ­cios e fraquezas adquiridos, tambĂ©m recebe algo da força valiosa da cultura… Continue lendo “Os seguidores de Schopenhauer” – NIETZSCHE

“Philipp MainlĂ€nder (1841-1876) y el mito del Santo Grial” – Manuel PĂ©rez Cornejo

https://www.youtube.com/watch?v=AITdM9_OW9U El vĂ­deo expone la interpretaciĂłn que sobre la leyenda del Santo Grial elaborĂł el filĂłsofo y escritor alemĂĄn PHILIPP MAINLÄNDER (1841-1876). MainlĂ€nder expone su versiĂłn filosĂłfica del significado de este mito en el segundo volumen de su libro "FilosofĂ­a de la redenciĂłn" (1876/1866). La interpretaciĂłn de la leyenda del Grial por MainlĂ€nder coincide asombrosamente… Continue lendo “Philipp MainlĂ€nder (1841-1876) y el mito del Santo Grial” – Manuel PĂ©rez Cornejo

“O que Ă© Romantismo?” – Friedrich NIETZSCHE

370. O que Ă© romantismo? — Talvez seja lembrado, ao menos entre meus amigos, que de inĂ­cio me lancei sobre esse mundo moderno com alguns grossos erros e superestimaçÔes, e em todo caso com esperanças. Eu compreendi — quem sabe a partir de que vivĂȘncias pessoais? — o pessimismo filosĂłfico do sĂ©culo XIX como sintoma… Continue lendo “O que Ă© Romantismo?” – Friedrich NIETZSCHE

“O Pessimismo FilosĂłfico de Schopenhauer e Nietzsche” (Flamarion Caldeira Ramos)

https://www.youtube.com/watch?v=8P8YK5IE7Mw&t=35s O pessimismo encontrou seu espaço na filosofia com Schopenhauer e Nietzsche. Hoje, Flamarion Caldeira abre esse panorama e questiona como e por que, aqui na Casa do Saber.

“A Grande Dor, extremo liberador do espĂ­rito” – NIETZSCHE

1. FreqĂŒentemente me perguntei se nĂŁo tenho um dĂ©bito mais profundo com os anos mais difĂ­ceis de minha vida do que com outros quaisquer. Minha natureza Ă­ntima me ensina que tudo necessĂĄrio, visto do alto e no sentido de uma grande economia, Ă© tambĂ©m vantajoso em si -- deve-se nĂŁo apenas suportĂĄ-lo, deve-se amĂĄ-lo... Amor… Continue lendo “A Grande Dor, extremo liberador do espĂ­rito” – NIETZSCHE

“Pode algum compositor igualar-se a Bach?” (Clemency-Burton Hill)

BBC, 17 de setembro de 2014 ("Can any composer equal Bach?") Quase 300 anos apĂłs sua morte, Johann Sebastian Bach continua sendo o padrĂŁo-ouro da mĂșsica clĂĄssica. Clemency-Burton Hill explora a razĂŁo disso. No programa do cafĂ©-da-manhĂŁ da RĂĄdio BBC 3 nĂłs temos uma seção chamada Bach antes das 7. Toda manhĂŁ semanal, antes das… Continue lendo “Pode algum compositor igualar-se a Bach?” (Clemency-Burton Hill)