“Só através do coração sabemos que algo muda”: entrevista com Simona Constantinovici sobre o Dicţionar de Termeni Cioranieni (2/3)

“Constantin Noica identifica em certas palavras romenas a história de nosso povo mesmo, como por exemplo o fenômeno da transumância. A tentativa de traduzi-las equivaleria a desenraizá-las, aniquilando assim o seu potencial ancestral de motivar a língua, o modo de ser de um povo, seu sentimento profundo. As palavras têm o mesmo destino que os… Continue lendo “Só através do coração sabemos que algo muda”: entrevista com Simona Constantinovici sobre o Dicţionar de Termeni Cioranieni (2/3)

“Only from the heart do we know when something changes”: interview with Simona Constantinovici about the Dictionary of Cioranian terms

“The Dictionary of Cioranian Terms intends to be a sort of invitation to read the philosopher in a different way, to put him in a light that extracts its fascicles from the substance of the words, from their uninterrupted story, impacting a future that stands, as a prey, lurking it.”Simona Constantinovici Simona Constantinovici (born 1968)… Continue lendo “Only from the heart do we know when something changes”: interview with Simona Constantinovici about the Dictionary of Cioranian terms

Ceticismo, fragmento e lucidez: “Emil Cioran. A Filosofia como Desfascinação e a Escritura como Terapia”, de Vincenzo Fiore [pt. 1] (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

FIORE, Vincenzo. Emil Cioran. La filosofia come de-fascinazione e la scrittura come terapia. Piazza Armerina/Enna: Nulla Die, 2018, 187 pp. A Itália é um dos países mais produtivos, atualmente, no que se refere à fortuna crítica cioraniana. Todo ano são publicados novos estudos, produções acadêmicas e editoriais, além de correspondências epistolares inéditas do próprio Cioran.[1]… Continue lendo Ceticismo, fragmento e lucidez: “Emil Cioran. A Filosofia como Desfascinação e a Escritura como Terapia”, de Vincenzo Fiore [pt. 1] (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

O jovem Cioran e sua tradução do romeno: entrevista com Fernando Klabin, tradutor de Nos Cumes do Desespero (Hedra, 2012)

Nascido em São Paulo numa família de origens russa e italiana, Fernando Klabin viveu durante muitos anos na Romênia, onde graduou-se em Ciências Políticas pela Universidade de Bucareste. Nos últimos quinze anos, Klabin tem enriquecido o mercado editorial brasileiro com traduções de obras do inglês, do alemão e especialmente do romeno. Ele traduziu, diretamente do… Continue lendo O jovem Cioran e sua tradução do romeno: entrevista com Fernando Klabin, tradutor de Nos Cumes do Desespero (Hedra, 2012)

“Reflexões sobre a questão do sofrimento a partir de Emile Cioran e Emmanuel Lévinas – ontologia, ética, substituição e subjetividade” – Ricardo Timm de SOUZA

Revista Veritas, nº 147, Porto Alegre, setembro de 1992, p. 387-395. O presente texto se ocupa em tentar sintetizar rapidamente alguns aspectos sob os quais os pensadores contemporâneos Emile Cioran e Emmanuel Lévinas enfocam a questão do sofrimento.[2] Isto é feito a partir de textos nos quais ambos externaram expressamente ideiais a respeito do problema. A… Continue lendo “Reflexões sobre a questão do sofrimento a partir de Emile Cioran e Emmanuel Lévinas – ontologia, ética, substituição e subjetividade” – Ricardo Timm de SOUZA