Em busca de um “não-homem”: niilismo, anti-humanismo e mística negativa – Entrevista com Ştefan Bolea (Romênia)

Ştefan Bolea é pesquisador na Faculdade de Letras da Universidade Babeș-Bolyai de Cluj-Napoca, Romênia. Além disso, é editor da conceituada revista literária Apostrof, co-fundador e editor-chefe do e-zine cultural EgoPHobia (www.egophobia.ro). Ştefan Bolea obteve seu segundo doutorado summa cum laude em Literatura Comparada, em 2017 (após um primeiro em Filosofia, em 2012), com uma investigação… Continue lendo Em busca de um “não-homem”: niilismo, anti-humanismo e mística negativa – Entrevista com Ştefan Bolea (Romênia)

Publicidade

“Só através do coração sabemos que algo muda”: entrevista com Simona Constantinovici sobre o Dicţionar de Termeni Cioranieni (2/3)

“Constantin Noica identifica em certas palavras romenas a história de nosso povo mesmo, como por exemplo o fenômeno da transumância. A tentativa de traduzi-las equivaleria a desenraizá-las, aniquilando assim o seu potencial ancestral de motivar a língua, o modo de ser de um povo, seu sentimento profundo. As palavras têm o mesmo destino que os… Continue lendo “Só através do coração sabemos que algo muda”: entrevista com Simona Constantinovici sobre o Dicţionar de Termeni Cioranieni (2/3)

“Only from the heart do we know when something changes”: interview with Simona Constantinovici about the Dictionary of Cioranian terms

“The Dictionary of Cioranian Terms intends to be a sort of invitation to read the philosopher in a different way, to put him in a light that extracts its fascicles from the substance of the words, from their uninterrupted story, impacting a future that stands, as a prey, lurking it.”Simona Constantinovici Simona Constantinovici (born 1968)… Continue lendo “Only from the heart do we know when something changes”: interview with Simona Constantinovici about the Dictionary of Cioranian terms

Ceticismo, fragmento e lucidez: “Emil Cioran. A Filosofia como Desfascinação e a Escritura como Terapia”, de Vincenzo Fiore [I] – Rodrigo MENEZES

FIORE, Vincenzo. Emil Cioran. La filosofia come de-fascinazione e la scrittura come terapia. Piazza Armerina/Enna: Nulla Die, 2018, 187 pp. A Itália é um dos países mais produtivos, atualmente, no que se refere à fortuna crítica cioraniana. Todo ano são publicados novos estudos, produções acadêmicas e editoriais, além de correspondências epistolares inéditas do próprio Cioran.[1]… Continue lendo Ceticismo, fragmento e lucidez: “Emil Cioran. A Filosofia como Desfascinação e a Escritura como Terapia”, de Vincenzo Fiore [I] – Rodrigo MENEZES

O jovem Cioran e sua tradução do romeno: entrevista com Fernando Klabin, tradutor de Nos Cumes do Desespero (Hedra, 2012)

Nascido em São Paulo numa família de origens russa e italiana, Fernando Klabin viveu durante muitos anos na Romênia, onde graduou-se em Ciências Políticas pela Universidade de Bucareste. Nos últimos quinze anos, Klabin tem enriquecido o mercado editorial brasileiro com traduções de obras do inglês, do alemão e especialmente do romeno. Ele traduziu, diretamente do… Continue lendo O jovem Cioran e sua tradução do romeno: entrevista com Fernando Klabin, tradutor de Nos Cumes do Desespero (Hedra, 2012)

“Reflexões sobre a questão do sofrimento a partir de Emile Cioran e Emmanuel Lévinas – ontologia, ética, substituição e subjetividade” – Ricardo Timm de SOUZA

Revista Veritas, nº 147, Porto Alegre, setembro de 1992, p. 387-395. O presente texto se ocupa em tentar sintetizar rapidamente alguns aspectos sob os quais os pensadores contemporâneos Emile Cioran e Emmanuel Lévinas enfocam a questão do sofrimento.[2] Isto é feito a partir de textos nos quais ambos externaram expressamente ideiais a respeito do problema. A… Continue lendo “Reflexões sobre a questão do sofrimento a partir de Emile Cioran e Emmanuel Lévinas – ontologia, ética, substituição e subjetividade” – Ricardo Timm de SOUZA