“O segundo Cioran e a campanha abolicionista da alma” – Rodrigo MENEZES

Uma das diferenças mais marcantes no pensamento de Cioran na passagem dos escritos romenos aos franceses, apĂłs a Segunda Guerra, Ă© a reação crĂ­tica, em nome da lucidez do espĂ­rito, Ă s ilusĂ”es das quais outrora fizera a apologia (ver O Livro das ilusĂ”es). "IlusĂŁo" se refere, antes de tudo, e fundamentalmente, Ă  ilusĂŁo de profundidade,… Continue lendo “O segundo Cioran e a campanha abolicionista da alma” – Rodrigo MENEZES

“O conhecimento arruĂ­na o amor”: o conflito entre Logos e Eros no pessimismo antropolĂłgico de Cioran

O conhecimento arruĂ­na o amor: Ă  medida que desvendamos nossos prĂłprios segredos, detestamos nossos semelhantes precisamente porque se assemelham a nĂłs. Quando jĂĄ nĂŁo se tem ilusĂ”es sobre si mesmo, tambĂ©m nĂŁo se tem sobre os outros; o inominĂĄvel, que se descobre por introspecção, estende se, por uma generalização legĂ­tima, ao resto dos mortais; depravados… Continue lendo “O conhecimento arruĂ­na o amor”: o conflito entre Logos e Eros no pessimismo antropolĂłgico de Cioran

A transparĂȘncia destrĂłi a confiança: um paradoxo – Byung-Chul HAN

Frente ao progresso irrefreĂĄvel das tĂ©cnicas de supervisĂŁo, o futurista David Brin assevera a fuga para frente, exigindo a supervisĂŁo de todos por todos; portanto, uma democratização da supervisĂŁo. A partir daĂ­ ele tem esperança de criar uma transparent society. Desse modo, postula um imperativo categĂłrico: “Can we stand living exposed to scrutiny, our secrets… Continue lendo A transparĂȘncia destrĂłi a confiança: um paradoxo – Byung-Chul HAN

Os bolsominions e seu Brasil paralelo Ă  luz de “O Real e seu Duplo”, de ClĂ©ment Rosset

Nada mais frĂĄgil do que a faculdade humana de admitir a realidade, de aceitar sem reservas a imperiosa prerrogativa do real. Esta faculdade falha tĂŁo freqĂŒentemente que parece razoĂĄvel imaginar que ela nĂŁo implica o reconhecimento de um direito imprescritĂ­vel — o do real a ser percebido —, mas representa antes uma espĂ©cie de tolerĂąncia,… Continue lendo Os bolsominions e seu Brasil paralelo Ă  luz de “O Real e seu Duplo”, de ClĂ©ment Rosset

“Animal demasiado humano: la influencia de Schopenhauer en la crĂ­tica de John Gray al humanismo” – Juan David MATEU ALONSO

BAJO PALABRA - Revista de FilosofĂ­a, II Época, NÂș 10 (2015):145-154 Resumen: El objetivo de este artĂ­culo es analizar la crĂ­tica de John Gray al humanismo. Este teĂłrico polĂ­tico ha planteado en algunas de sus obras una fuerte crĂ­tica no sĂłlo del liberalismo, sino tambiĂ©n de la idea de progreso, los proyectos polĂ­ticos utĂłpicos y… Continue lendo “Animal demasiado humano: la influencia de Schopenhauer en la crĂ­tica de John Gray al humanismo” – Juan David MATEU ALONSO

“Hans Blumenberg e o real lacaniano” – Ricardo Laleff ILIEFF

FĂłrum Aberto do Programa de PĂłs-graduação em Filosofia da Unicap (Universidade CatĂłlica de Pernambuco). https://www.youtube.com/watch?v=bV3IU8X0b3g Doctor en Ciencias Sociales (UBA), MagĂ­ster en Defensa (UNDEF) y Licenciado en Ciencia PolĂ­tica (UBA). Investigador del CONICET en el Instituto de Investigaciones Gino Germani (IIGG). Docente de grado y posgrado en el ĂĄrea de teorĂ­a polĂ­tica y social. Miembro… Continue lendo “Hans Blumenberg e o real lacaniano” – Ricardo Laleff ILIEFF

“Se te queres matar…”: para uma CrĂ­tica da razĂŁo suicida – Julio CABRERA

Revista (n.t.) Nota do Tradutor, 23Âș, vol. especial, 2021 O texto: Ensaio inĂ©dito do filĂłsofo argentino radicado no Brasil, reconhecido internacionalmente pelos seus estudos em matĂ©ria de Ă©tica negativa e considerado um dos principais representantes latino-americanos do antinatalismo contemporĂąneo, movimento que antecipou em seu livro Projeto de Ă©tica negativa, de 1989, onde jĂĄ falava da imoralidade da… Continue lendo “Se te queres matar…”: para uma CrĂ­tica da razĂŁo suicida – Julio CABRERA

“The Soul in the Machine” – John GRAY

Those who fear conscious machines do so because they think that consciousness is the most valuable feature of humans – and because they fear anything they cannot subject to their will. They fear the evolution of conscious machines for the same reason they seek to become masters of the Earth. As machines slip from human… Continue lendo “The Soul in the Machine” – John GRAY

“Traços gnĂłsticos na Modernidade filosĂłfica e literĂĄria: Cioran, Camus, Bloom” – Rodrigo MENEZES

DossiĂȘ temĂĄtico do minicurso on-line Filosofia, Literatura e Gnose, ministrado por Juliano Garcia Pessanha e Rodrigo InĂĄcio R. SĂĄ Menezes. SĂŁo Paulo, Brasil, novembro/dezembro de 2022. “I think there may be something wrong with this world.Either that or there’s something wrong with me”.[1] DOLORES (personagem androide da sĂ©rie Westworld) “Life’s but a walking shadow, a… Continue lendo “Traços gnĂłsticos na Modernidade filosĂłfica e literĂĄria: Cioran, Camus, Bloom” – Rodrigo MENEZES