El inconveniente de nacer. Un diálogo de E. Cioran con los poetas: Charles Baudelaire y S. Mallarmé – Francia Elena Goenaga

Homenaje a M .Liliana Herrera Alzate (1960-2019) “En el Eclesiastés, la existencia aparece como una extremada sinrazón que sólo el corazón gozoso atina a comprender por la vía del amor desinteresado. Al fondo de toda la maquinaria astral se vislumbra el amor a los seres y a las cosas como única y última solución”.Antonio Colinas. Tres… Continue lendo El inconveniente de nacer. Un diálogo de E. Cioran con los poetas: Charles Baudelaire y S. Mallarmé – Francia Elena Goenaga

Carlo Michelstaedter, um filósofo no “cume do desespero” – Gleiton Lentz (n.t.) Nota do Tradutor 🇧🇷

https://www.youtube.com/watch?v=yenb7b1yeQY&t=1s Uma aproximação entre o filósofo romeno e o filósofo italiano, destacando as coincidências biográficas e afinidades eletivas entre eles, em termos de estilo e de pensamento. Carlo Michelstaedter suicidou-se aos 23 anos, a mesma idade de Cioran ao escrever Nos Cumes do Desespero (1934); a defesa da tese de Michelstaedter sobre La persuasione e… Continue lendo Carlo Michelstaedter, um filósofo no “cume do desespero” – Gleiton Lentz (n.t.) Nota do Tradutor ðŸ‡§ðŸ‡·

Terrorismos Metafísicos de Lautréamont e Cioran – Lucas C. Almeida Rocha 🇧🇷

https://www.youtube.com/watch?v=vTWptw6PWM8&t=739s Há quem diga que, para muito além da Filosofia, há em Cioran uma certa poética. Sua obra não se sustenta unicamente em sua temática, mas também na estética na qual ela se funda. Em decorrência da complexidade estilística e formal de sua prosa, somos obrigados a não posicionar este vampiro do Paradoxo meramente ao… Continue lendo Terrorismos Metafísicos de Lautréamont e Cioran – Lucas C. Almeida Rocha ðŸ‡§ðŸ‡·

“Um exílio melancólico: Cioran, Pessoa e a nostalgia” – Paolo VANINI | Università di Trento 🇮🇹

https://www.youtube.com/watch?v=e_sMR4V46xM Texto apresentado no âmbito do Colóquio Internacional Liliana Herrera em torno de Cioran (15/10/2021). Um exílio melancólico: Cioran, Pessoa e a nostalgia[1], de Paolo Vanini[2] Resumo: Este artigo visa investigar a relação entre nostalgia, solidão e ceticismo no pensamento de Emil Cioran. Em primeiro lugar, examinaremos como os conceitos de Sehnsucht, Saudade e Dor… Continue lendo “Um exílio melancólico: Cioran, Pessoa e a nostalgia” – Paolo VANINI | Università di Trento ðŸ‡®ðŸ‡¹

“Fausto o la insatisfacción del hombre moderno” – Helena Cortés Gabaudan

https://www.youtube.com/watch?v=WLlT1W4KOm0 La traductora y profesora titular de Lengua y Literatura Alemana en la Universidad de Vigo, Helena Cortés Gabaudan, analiza el clásico de la literatura alemana, Fausto de Johann Wolfgang von Goethe (1749-1832). La tragedia, que ocupó a Goethe toda su vida, se compone de dos obras, que solo coinciden en el título, en la… Continue lendo “Fausto o la insatisfacción del hombre moderno” – Helena Cortés Gabaudan

Estética e Solidão na poesia de Gilda Vălcan – Ana Maria Haddad Baptista

Apresentação da obra poética de Gilda Vălcan e declamação de alguns de seus poemas pela professora Ana Maria Haddad Baptista, editora do volume 12 Poemas de Gilda Vălcan (Tesseractum, 2020). Com a participação especial da poeta, diretamente da Romênia. https://www.youtube.com/watch?v=yrHmdKq4_fs Nascida em 1973, em GalaÅ£i, na Romênia, Gilda Vălcan é filósofa, poeta, ensaísta e professora… Continue lendo Estética e Solidão na poesia de Gilda Vălcan – Ana Maria Haddad Baptista

Del inconveniente de nacer en Cioran y Baudelaire – Francia Elena Goenaga | UNIANDES 🇨🇴

https://www.youtube.com/watch?v=b_WJSJeD--A Francia Elena Goenaga é diretora do Departamento de Humanidades e Literatura da Universidad de Los Andes, na Colômbia. Fez mestrado em literatura hispanoamericana no I.C.C, e doutorado na Paris 8 sobre os Moralistas franceses do século XVII e o colombiano Nicolás Gómez Dávila. Foi diretora da revista Perífrasis nos anos 2016-2017. Tem ministrado cursos… Continue lendo Del inconveniente de nacer en Cioran y Baudelaire – Francia Elena Goenaga | UNIANDES ðŸ‡¨ðŸ‡´

Se, depois de eu morrer…” – Fernando PESSOA

https://www.youtube.com/watch?v=QV36r3sDV-c Alberto Caeiro Se, depois de eu morrer, quiserem escrever a minha biografia,Se, depois de eu morrer, quiserem escrever a minha biografia,Não há nada mais simples.Tem só duas datas—a da minha nascença e a da minha morte.Entre uma e outra coisa todos os dias são meus. Sou fácil de definir.Vi como um danado.Amei as coisas… Continue lendo Se, depois de eu morrer…” – Fernando PESSOA

Cioran e Keats: o imperativo da intensidade e poéticas do grotesco

Segundo o tradutor Péricles Eugênio da Silva Ramos, o princípio da intensidade desempenha um papel fundamental na poética de John Keats (1795-1821). Em 21 de dezembro de 1817, o poeta inglês escreveria, em carta ao irmão George, que "a excelência de toda arte está em sua intensidade, capaz de fazer o desagradável ('all desagreeables') evaporar… Continue lendo Cioran e Keats: o imperativo da intensidade e poéticas do grotesco

Adiamento – Fernando Pessoa (Álvaro De Campos)

https://www.youtube.com/watch?v=Z6wNazSuRFc Depois de amanhã, sim, só depois de amanhã…Levarei amanhã a pensar em depois de amanhã,E assim será possível; mas hoje não…Não, hoje nada; hoje não posso.A persistência confusa da minha subjectividade objectiva,O sono da minha vida real, intercalado,O cansaço antecipado e infinito,Um cansaço de mundos para apanhar um eléctrico…Esta espécie de alma…Só depois de… Continue lendo Adiamento – Fernando Pessoa (Álvaro De Campos)