“Pessimism, Futility and Extinction”: An Interview with Eugene Thacker – Thomas DEKEYSER

Theory, Culture & Society, 2020, Vol. 37(7–8) 367–381 Abstract: In this interview with Thomas Dekeyser, Eugene Thacker elaborates on the central themes of his work. Addressing themes including extinction, futility, human universalism, network euphoria, political indecision and scientific nihilism, the interview positions Thacker’s work within the contemporary theoretical conjuncture, specifically through its relation to genres… Continue lendo “Pessimism, Futility and Extinction”: An Interview with Eugene Thacker – Thomas DEKEYSER

“O subsolo da negação”: niilismo e antissemitismo em Dostoiévski – Michèle COHEN-HALIMI

Dostoievski põe em cena o escândalo de uma existência desprovida de fé religiosa. Em seu último romance, essa mise en scène se concentra na relação dos três irmãos Karamazov: ela segue as transformações de Ivan, o ateu, e de Aliocha, o crente. Como se o caminho traçado pelo romance devesse conduzir do ateísmo ao amor… Continue lendo “O subsolo da negação”: niilismo e antissemitismo em Dostoiévski – Michèle COHEN-HALIMI

“Franceza după Cioran” – Maria DOLLE

Revista Tribuna, Revistă de cultură, serie nouă, nr. 208, anul X , 1-15 mai 2011, p. 14. Tema trădătorului şi a eroului Oricât de necesară este schimbarea de limbă, ea este trăită într-un mod paradoxal şi dureros. Preţul de plătit este greu: să-ţi schimbi limba înseamnă să renunţi, spune el, la a fi poet; de-acum înainte,… Continue lendo “Franceza după Cioran” – Maria DOLLE

“O bigode de Nietzsche” – Ciprian VĂLCAN

Quem quiser explorar a história do bigode de Nietzsche terá à disposição inúmeras fontes interessantes, camufladas em várias fotografias (deixamos de fora da investigação os retratos pintados por Köselitz, Stoeving, Olde ou Munch, para não incomodar os nossos contemporâneos apressados). Nem sequer precisa consultar os diários dos contemporâneos de Friedrich, seguir as suas anotações, vasculhar… Continue lendo “O bigode de Nietzsche” – Ciprian VĂLCAN

“O ensaio como forma” – Theodor W. ADORNO

Destinado a ver o iluminado, não a luz.GOETHE, Pandora Que o ensaio, na Alemanha, esteja difamado como um produto bastardo; que sua forma careça de uma tradição convincente; que suas demandas enfáticas só tenham sido satisfeitas de modo intermitente, tudo isso já foi dito e repreendido o bastante. “A forma do ensaio ainda não conseguiu… Continue lendo “O ensaio como forma” – Theodor W. ADORNO

“Emil Cioran y Albert Cossery, entre el dolor y la alegría de existir”: entrevista a Belén Nava VALDÉS | UAEMéx 🇲🇽

Belén Nava Valdés es licenciada en Filosofía y Antropología Social por la Universidad Autónoma del Estado México (UAEMéx). Es profesora de asignatura en el Instituto Politécnico Nacional (IPN). Candidata a Maestra en Ética Social en la Facultad de Humanidades por la UAEMÉX. Autora y colaboradora de diversos publicados en México y en el extranjero. Ponente… Continue lendo “Emil Cioran y Albert Cossery, entre el dolor y la alegría de existir”: entrevista a Belén Nava VALDÉS | UAEMéx 🇲🇽

“Sobre a escrita e o estilo” – SCHOPENHAUER

§1. Antes de tudo, há dois tipos de escritores: aqueles que escrevem em função do assunto e os que escrevem por escrever. Os primeiros tiveram pensamentos, ou fizeram experiências, que lhes parecem dignos de ser comunicados; os outros precisam de dinheiro e por isso escrevem, só por dinheiro. Pensam para exercer sua atividade de escritores.… Continue lendo “Sobre a escrita e o estilo” – SCHOPENHAUER

As Velhinhas e o Diabo, Serial Killers e Canibais: aforismos de Ciprian Vălcan

A história do homem contemporâneo será a história dos monstros que terá produzido. A partir do século XXII, não concederão mais o prêmio Nobel, mas o prêmio Breivik. O estágio final do capitalismo é o canibalismo. Todos os cineastas que encontrei falavam do grande talento para atuar dos prisioneiros. Seria necessário, provavelmente, um serial killer… Continue lendo As Velhinhas e o Diabo, Serial Killers e Canibais: aforismos de Ciprian Vălcan

“Chuang Tzu e a borboleta em Macondo” – Adriana LISBOA

Revista Cult, n. 87, dez. 2004 Conta a lenda que o sábio taoísta Chuang Tzu, ao dormir, sonhou ser uma borboleta, mas ao acordar se perguntou: será que eu era antes Chuang Tzu sonhando ser uma borboleta ou sou agora uma borboleta adormecida, sonhando ser Chuang Tzu? Gustavo Bernardo interpreta essa indecisão do sábio “como… Continue lendo “Chuang Tzu e a borboleta em Macondo” – Adriana LISBOA

“As Velhinhas e o Diabo: aforismos para tempos que ainda esperam pelo despertar da história” – Giovanni ROTIROTI

Prefácio de As velhinhas e o diabo [Babele și diavolul], de Ciprian Vălcan. Trad. de Rodrigo Menezes. São Paulo: Tesseractum, 2022. ISBN: 978-65-89867-30-2. “A etapa final do capitalismo é o canibalismo.” Num século – como o nosso – marcado pela derrocada das utopias emancipatórias e pela crescente imposição do sistema econômico e do imaginário capitalista,… Continue lendo “As Velhinhas e o Diabo: aforismos para tempos que ainda esperam pelo despertar da história” – Giovanni ROTIROTI