“Prosa e Poesia” – NIETZSCHE

Observe-se que os grandes mestres da prosa foram quase sempre poetas também, seja publicamente ou apenas em segredo e “para os íntimos”; e, de fato, apenas em vista da poesia se escreve boa prosa! Pois esta é uma ininterrupta e amável guerra com a poesia: todo o seu charme consiste em que a poesia é… Continue lendo “Prosa e Poesia” – NIETZSCHE

“L’infinito tra poesia, filosofia e sentire” – Loretta MARCON

ORIZZONTI CULTURALI ITALO-ROMENI, n. 12, dicembre 2021, anno XI Quando parliamo di poesia pensante e di pensiero poetante di Leopardi, immediatamente si presentano alla nostra mente i versi di due particolari Canti: l’Infinito e il Canto notturno di un pastore errante.Il secondo appare immediatamente, nella sua luce lunare, poeticamente spietato nel suo realismo, perché intriso di domande… Continue lendo “L’infinito tra poesia, filosofia e sentire” – Loretta MARCON

“Siamo al culmine della storia della follia. Leopardi ci salverà. Forse”. Emanuele Severino in dialogo con Gianni Bonina

PANGEA NEWS, 22 Gennaio 2020 Nascere apparve nel 2005 da Rizzoli nella veste di un libro secondario ma già nel sottotitolo, “E altri problemi della coscienza religiosa”, adombrava una provocazione nell’intento mascherato di rinfocolare una polemica che aveva visto Emanuele Severino protagonista al tempo della legge sulla fecondazione. Ad ogni modo segnava una presa di… Continue lendo “Siamo al culmine della storia della follia. Leopardi ci salverà. Forse”. Emanuele Severino in dialogo con Gianni Bonina

“O Niilismo, de Franco Volpi” (resenha) – Cláudia Bhrenna Falcão Castro

Cadernos do PET Filosofia - UFPI. v. 5, n. 9 (2014). 2014 (Resenha). Franco Volpi foi um filósofo italiano e professor de História da Filosofia da Universidade de Pádua. Também lecionou em universidades da Europa, Canadá e América Latina. Publicou obras como “Heidegger e Brentano” (1976), “O Renascimento da Filosofia Prática na Alemanha” (1980), “Heidegger… Continue lendo “O Niilismo, de Franco Volpi” (resenha) – Cláudia Bhrenna Falcão Castro

Carlo Michelstaedter, um filósofo no “cume do desespero” – Gleiton Lentz (n.t.) Nota do Tradutor 🇧🇷

https://www.youtube.com/watch?v=yenb7b1yeQY&t=1s Uma aproximação entre o filósofo romeno e o filósofo italiano, destacando as coincidências biográficas e afinidades eletivas entre eles, em termos de estilo e de pensamento. Carlo Michelstaedter suicidou-se aos 23 anos, a mesma idade de Cioran ao escrever Nos Cumes do Desespero (1934); a defesa da tese de Michelstaedter sobre La persuasione e… Continue lendo Carlo Michelstaedter, um filósofo no “cume do desespero” – Gleiton Lentz (n.t.) Nota do Tradutor 🇧🇷

A vida em tradução: entrevista com Gleiton Lentz, editor da Revista (n.t.) Nota do Tradutor

Gleiton Lentz é tradutor e editor-chefe da revista (n.t.) Nota do Tradutor. Doutor em Literatura (UFSC/Università degli Studi di Firenze) e pós-doutor em Estudos da Tradução (PGET/UFSC), dedica-se à tradução da poesia simbolista italiana e hispano-americana e ao estudo da origem das escritas antigas e suas literaturas, incluindo a maia e a suméria.Para quem não… Continue lendo A vida em tradução: entrevista com Gleiton Lentz, editor da Revista (n.t.) Nota do Tradutor

“O paradoxo do ateu-crente. Vinte e cinco anos da morte do filósofo romeno Emil Cioran” (Gabriele Nicolo)

INSTITUTO HUMANITAS UNISINOS, 18 de junho de 2020 "O paradoxo informa e permeia o pensamento de Cioran. É desarmante a leitura que ele oferece do suicídio, entendido não como uma expressão extrema de desespero, mas, ao contrário, uma ferramenta que permite a vida. Isso é possível na medida em que a existência é percebida como… Continue lendo “O paradoxo do ateu-crente. Vinte e cinco anos da morte do filósofo romeno Emil Cioran” (Gabriele Nicolo)

“Iosif Cheie-Pantea, Cioran și spiritul romantic” (Adela Drăucea)

Journal of Humanistic and Social Studies; Arad Vol. 10, Ed. 2,  (2019): 157-159. A New Vision: Iosif Cheie-Pantea, Cioran and the Romantic Spirit Salutăm apariția volumului Cioran și spiritul romantic al profesorului timișorean Iosif Cheie-Pantea (Editura Brumar, Timișoara, 2019), care ne supune atenției dimensiunea romantică ca formă de spirit, un aspect mai puțin reliefat de către comentatorii operei lui Emil… Continue lendo “Iosif Cheie-Pantea, Cioran și spiritul romantic” (Adela Drăucea)

“Leopardi, poeta do infinito” (Marco Lucchesi)

Psiquiatria & Saúde Mental, USP, n. 43, 1999 I – DIAS FUTUROS “Cada objeto amado é o centro de um paraíso” (Novalis, Pólen, frag. 50).“A quantidade de ensaios crítico sem torno da obra de Giacomo Leopardi só pode ser equiparada com o renovado entusiasmo de seus leitores. Leopardi não é um homem de letras, mas… Continue lendo “Leopardi, poeta do infinito” (Marco Lucchesi)