“The Theory of Two Truths in India” – Sonam Thakchoe

Stanford Encyclopedia of Philosophy The theory of the two truths has a twenty-five century long history behind it. It has its origin in the sixth century BCE India with the emergence of the Siddhārtha Gautama. It is said, according to the PitāpÅ«trasamāgama-sÅ«tra, Siddhārtha became a buddha “awakened one” because he fully understood the meaning of the two… Continue lendo “The Theory of Two Truths in India” – Sonam Thakchoe

“As duas verdades” – E.M. Cioran

Segundo uma lenda de inspiração gnóstica, travou-se uma luta no céu entre os anjos, na qual os partidários de Miguel venceram os do Dragão. Os anjos que se contentaram, indecisos, em observar, foram relegados a aqui embaixo, afim de fazer a escolha à qual não se tinham resolvido lá em cima, escolha tão mais difícil… Continue lendo “As duas verdades” – E.M. Cioran

“Pensar contra si próprio” – E.M. Cioran

Um requisitório contra o otimismo new age, a cultura da autoajuda e suas receitas de felicidade, o dogmatismo indulgente e pernicioso ao quais nem os filósofos saberiam escapar: "Pensar contra si próprio" é o texto de abertura de A tentação de existir (1956), o terceiro livro de Cioran em língua francesa após o fiasco de… Continue lendo “Pensar contra si próprio” – E.M. Cioran

“Michaux: a paixão do exaustivo” – E.M. Cioran

Há uns 15 anos, Michaux me levava regularmente ao Grand Palais onde eram exibidos todos os tipos de filme de caráter científico, alguns curiosos, outros técnicos, impenetráveis. Para dizer a verdade, o que me intrigava era menos as projeções do que o interesse que demonstrava por elas. Não compreendia muito bem o motivo de uma… Continue lendo “Michaux: a paixão do exaustivo” – E.M. Cioran

Santidade & Ceticismo: Modelos de Antinatureza, Duas Impossibilidades

Quando carregamos em nós germes de decepções e como que uma sede de vê-los eclodir, o desejo de que o mundo anule a cada passo nossas esperanças multiplica as confirmações voluptuosas do mal. Os argumentos vêm em seguida; a doutrina se constrói: só permanece ainda o perigo da “sabedoria”. Mas, se não queremos libertar-nos do… Continue lendo Santidade & Ceticismo: Modelos de Antinatureza, Duas Impossibilidades

A libertação necessária e (im)possível: a tragédia humana tem redenção, segundo Cioran?

"Ceder, em meio aos nossos males, à tentação de crer que não nos terão servido para nada, que sem eles estaríamos infinitamente mais avançados, é esquecer o duplo aspecto da doença: aniquilação e revelação; ela só nos arranca às nossas aparências para melhor nos abrir à nossa realidade última, e às vezes ao invisível." CIORAN,… Continue lendo A libertação necessária e (im)possível: a tragédia humana tem redenção, segundo Cioran?

“Budismo e Modernidade no Século XXI” (Joaquim Monteiro)

https://www.youtube.com/watch?v=G9tLVuGZL1A&feature=youtu.be No último encontro deste módulo, o monge budista Joaquim Monteiro, abordará os desafios que a modernidade ocidental apresenta ao budismo, especialmente as questões referentes ao desenvolvimento técnico-científico que dominam, de forma avassaladora, sociedades budistas tradicionais, tais como as do Japão, Coreia e China. Ver também: Tokyo Noise (2002), documentário artístico-investigativo que retrata a cidade… Continue lendo “Budismo e Modernidade no Século XXI” (Joaquim Monteiro)

“Dogma, Dúvida & outras paixões ‘demasiado humanas’: Skandalon-Cioran”

https://www.youtube.com/watch?v=GVAi6kskBeg&t=2007s Cioran angariou bons amigos e boas amigas, leitores e leitoras mais ou menos distantes, e igualmente dedicados, com os quais manteve uma robusta correspondência epistolar. Mas também angariou muitos desafetos, difamadores, detratores e críticos empedernidos, inclusive no Brasil (vide Augusto Frederico Schmidt). O autor romeno de expressão francesa, espírito idiossincrático e excêntrico, é capaz… Continue lendo “Dogma, Dúvida & outras paixões ‘demasiado humanas’: Skandalon-Cioran”

“Um pensamento religioso heterodoxo: Cioran gnóstico”

https://www.youtube.com/watch?v=bUJ1cNVCmu8 "Ninguém pode tornar claro em que consiste a qualidade ou o valor de um sentimento a quem nunca o tenha experimentado. É preciso ter ouvidos musicais para saber o valor de uma sinfonia; é preciso ter estado apaixonado para entender o estado de espírito de um amante. Na faltado coração ou do ouvido, não… Continue lendo “Um pensamento religioso heterodoxo: Cioran gnóstico”

“Nagarjuna e a Fabricação do seu Prestígio pelos Missionários Budistas” (Otávio da Cunha Botelho)

Observador Crítico das Religiões

por Octavio da Cunha Botelho

 Considerações iniciais 

O caso analisado abaixo não é único na história das religiões. Muitos são os exemplos de visionários e de interpretes religiosos que não adquiriram prestígio e influência em sua terra natal, mas, em virtude do trabalho de marketing e de propaganda de missionários, conseguiram um extraordinário prestígio em regiões estrangeiras. O Cristianismo, por exemplo, teve um destino, até certo ponto, semelhante. Os casos como estes são exemplos de como as religiões, em sua maioria, surgem e crescem mais como resultado da persuasão e da propaganda do que de qualquer outra forma de comunicação.  Pois, é grande o número de pessoas que acreditam mais no que os outros dizem ou relatam do que no que elas mesmas são capazes de perceber, sem a intermediação de alguém.

Contrariando o que pregam os adeptos budistas do Mahayana, bem como divulgam os admiradores, Nagarjuna

Ver o post original 7.900 mais palavras