“Emil Cioran y Albert Cossery: dos apologistas de la pereza lúcida” – Belén N. VALDÉS; José Luis A. LOPEZTELLO

ANALE SERIA DREPT, Volumul XXX, 2021 Abstract: This paper has suggested introducing in the reflections of two authors that imply their dislike for the most fetishized ideals of Western civilization. Emil Cioran and Albert Cossery share a radical way of deconfiguring the pamemas that have supported our culture. However, despite his notable spiritual affinities (such… Continue lendo “Emil Cioran y Albert Cossery: dos apologistas de la pereza lúcida” – Belén N. VALDÉS; José Luis A. LOPEZTELLO

“O Homem carcomido” – CIORAN

Não quero mais colaborar com a luz nem empregar o jargão da vida. Não tornarei a dizer: “Eu sou” sem enrubescer. O despudor do alento, o escândalo da respiração estão ligados ao abuso de um verbo auxiliar… Já passou o tempo em que o homem se pensava em termos de aurora; repousando sobre uma matéria… Continue lendo “O Homem carcomido” – CIORAN

“Cioran no desastre” – Efrén Sánchez RANULFO

Resumo: Trata-se de uma leitura de Cioran em torno do confinamento provocado pela atual pandemia. Refletirei sobre a pergunta: por que é reconfortante ler Cioran em meio ao desastre?Palavras-chave: Confinamento, lucidez, homem, natureza, pandemia. Abstract: In this meeting I will make a reading of Cioran about the confinement that has caused the current pandemic. I… Continue lendo “Cioran no desastre” – Efrén Sánchez RANULFO

“Cioran y Dostoievski: el despertar de la conciencia y la lasitud de estar despierto” – José Luis Álvarez Lopeztello | UAMEX 🇲🇽

https://youtu.be/ujnajRLjYnE RESÚMEN: En el presente escrito se pretenden mostrar algunas afinidades espirituales de Cioran con respecto a Dostoievski. Sospecho que Cioran se convirtió en un personaje literario de su amado novelista ruso. O, para decirlo con Merejkovski, se vio obligado a vivir la vida de uno de sus héroes. Para explicar lo que quiero decir,… Continue lendo “Cioran y Dostoievski: el despertar de la conciencia y la lasitud de estar despierto” – José Luis Álvarez Lopeztello | UAMEX 🇲🇽

Ensayo sobre Cioran (introdução) – Fernando SAVATER

Conceber um pensamento, um único pensamento, mas que fizesse em pedaços o universo. Le mauvais démiurge Já que se trata de fazer uma tese, escolhamos ao menos um tema impossível: que o fracasso em que há de culminar nosso trabalho não seja simples fruto da incúria ou da incompetência, mas da premeditação. Suponho que uma… Continue lendo Ensayo sobre Cioran (introdução) – Fernando SAVATER

“Desígnio e tarefa da lucidez”: primeiro capítulo do Ensayo sobre Cioran, de F. SAVATER

A verdadeira vertigem é a ausência de loucura.La chute dans le temps Será preciso determinar, em primeiro lugar, o que entenderemos por lucidez. Como não pretendo utilizar esta palavra de um modo especial ou inusual, deverei ater-me à definição que dela me brinda o dicionário; talvez possamos encontrar em tal definição os traços que gostaríamos… Continue lendo “Desígnio e tarefa da lucidez”: primeiro capítulo do Ensayo sobre Cioran, de F. SAVATER

“Lucidez e/é Enfermidade: Cioran e o paradoxo entre saúde e conhecimento de si” – Rodrigo MENEZES

O conhecimento de si, o mais amargo de todos, é também aquele que menos cultivamos: para quê surpreendermo-nos de manhã à noite em flagrante delito de ilusão, regressar impiedosamente à raiz de cada acto, e perder causa atrás de causa diante do nosso próprio tribunal?Do inconveniente de ter nascido (1973) A doença é uma realidade… Continue lendo “Lucidez e/é Enfermidade: Cioran e o paradoxo entre saúde e conhecimento de si” – Rodrigo MENEZES

“Uma reflexão inédita sobre (contra) a Imagem, de E.M. Cioran” – Rodrigo Menezes

Acabo de escrever, para uma obra coletiva, um breve texto sobre a imagem, ou antes, contra a imagem, e que poderia ter sido assinado pelo crente mais ortodoxo. E, contudo, nunca estive tão distante de qualquer conversão que seja. É um “impulso” místico proveniente de certos estados febris que experimento de vez em quando.E.M. Cioran… Continue lendo “Uma reflexão inédita sobre (contra) a Imagem, de E.M. Cioran” – Rodrigo Menezes

Divina Impotência e a “Carreira Triunfal do Mal”: Cioran e o Ateísmo Místico como Sabedoria da Insegurança

Cioran concorda com Arthur Schopenhauer em que a filosofia não tem o seu ponto de partida em um eventual maravilhamento, cheio de graça e júbilo, diante do "milagre" do Ser, da evidência de que "algo é", "há seres e ser", sempre em devir, devindo, fluindo, confluindo, em sua ininterrupta duração (la durée, segundo Bergson). O… Continue lendo Divina Impotência e a “Carreira Triunfal do Mal”: Cioran e o Ateísmo Místico como Sabedoria da Insegurança

“La filosofía como desfascinación” – Gustavo ROMERO

Espacio Murena, Buenos Aires, 13/05/2018 Gustavo Romero nos hace ingresar en el mundo de la filosofía de Emil Cioran: el escepticismo, la lucidez, el insomnio como persistencias de un pensamiento. 21, Rue de l’Odéon, París, en el sexto y último piso de un blanco edificio austero, vivió desde 1960, junto a su pareja Simone Boué,… Continue lendo “La filosofía como desfascinación” – Gustavo ROMERO