Cioran y los sentidos de la mística – Alfredo Abad | UTP 🇨🇴

En la obra de Cioran se acentúa el interés por la mística desde consideraciones que involucran un mismo objeto bajo dos ópticas distintas. En primer lugar, el rumano hace manifiesto un acercamiento a partir de una crisis religiosa propia en la que está comprendida entonces una manifestación directa e inmediata que se concretiza en las… Continue lendo Cioran y los sentidos de la mística – Alfredo Abad | UTP ðŸ‡¨ðŸ‡´

Cioran, leitor de Nietzsche Рlive tert̼lia no YouTube (14/08/2021)

Cioran seria um autor nietzschiano? Anti-nietzschiano? Um Nietzsche romeno do século XX? Nenhuma das alternativas anteriores? A próxima live tertúlia terá como proposta responder a essas e outras interrogações que pairam em torno da relação histórico-filosófica entre Nietzsche e Cioran. Data: 14 de agosto de 2021Horário: 18:00 (Brasil) | 19:00 (UTC) https://youtu.be/Iq4Qr3bn0P8 ARGUMENTO "De que… Continue lendo Cioran, leitor de Nietzsche – live tertúlia no YouTube (14/08/2021)

“A teologia de Pôncio Pilatos” – Luiz Felipe Pondé

Folha de S. Paulo, Caderno Mais!, 28 de março de 2004 Anti-semitismo no cristianismo é real e perigoso, mas é mais complexo que a idéia de que experimentar esteticamente a Paixão seja um discurso que força o ódio ao judeu Luiz Felipe Pondéespecial para a Folha Em meio à "floresta densa" do maior ou menor capital… Continue lendo “A teologia de Pôncio Pilatos” – Luiz Felipe Pondé

“Crítica da servidão dogmática (e do misticismo)”: a Experiência Interior de BATAILLE

Entendo por experiência interior aquilo que habitualmente se nomeia experiência mística: os estados de êxtase, de arrebatamento ou ao menos de emoção meditada. Mas penso menos na experiência confessional, a que os místicos se ativeram até aqui, do que numa experiência nua, livre de amarras, e mesmo de origem, que a prendam a qualquer confissão… Continue lendo “Crítica da servidão dogmática (e do misticismo)”: a Experiência Interior de BATAILLE

“Observações iniciais sobre a importância da Ortodoxia” – G. K. CHESTERTON

NADA INDICA, de modo mais inusitado, o enorme e silencioso mal da sociedade moderna do que o estranho uso que é feito, em nossos dias, da palavra “ortodoxo”. No passado, o herege se orgulhava de não ser herege. Os reinos do mundo, a polícia e os juízes é que eram hereges. Ele era ortodoxo. Não… Continue lendo “Observações iniciais sobre a importância da Ortodoxia” – G. K. CHESTERTON

Schopenhauer e a religịo РGleisy Picoli

https://www.youtube.com/watch?v=kYwqgEyQ93w O objetivo da minha apresentação consiste em analisar o capítulo XV do segundo tomo do Parerga, à luz do Suplemento 17, com o intuito de mostrar quão indispensável é o papel da religião, na visão do autor, bem como destacar a importância do discurso alegórico religioso na filosofia de Schopenhauer. - CANAL SCHOPENHAUER

Obsolescência Humana Programada, o Crepúsculo da Inteligência e a Espiritualidade das Máquinas – Peter SLOTERDIJK

Fica subentendido que, dentro do esquema clássico das transações entre Deus, alma e mundo, nenhuma inteligência adicional pode entrar no mundo: e isso parece ser desnecessário, pois o Deus da criação ou da natureza já lhe concedeu tanta ordem de sua riqueza insuperável quanto a criação precisa para seu sustento. Nem mesmo o ser humano… Continue lendo Obsolescência Humana Programada, o Crepúsculo da Inteligência e a Espiritualidade das Máquinas – Peter SLOTERDIJK

Crer ou não crer? Eis a falsa questão, segundo Cioran

Cioran manifestou, em mais de uma ocasião, a opinião de que esta pergunta, assim formulada, é no mínimo uma pergunta mal formulada, se não uma questão fundamentalmente falsa, pertencente à esfera desses preconceitos atávicos e debilitantes que constituem a mentalidade e a cultura de um povo, ou de toda uma civilização Não é fácil falar… Continue lendo Crer ou não crer? Eis a falsa questão, segundo Cioran

Sobre Kirilov, personagem de Dostoi̩vski РAlbert CAMUS

Todos os heróis de Dostoiévski se questionam sobre o sentido da vida. Nisto são modernos: não temem o ridículo. O que distingue a sensibilidade moderna da sensibilidade clássica é que esta se nutre de problemas morais e aquela de problemas metafísicos. Nos romances de Dostoiévski, a questão é colocada com tal intensidade que só admite… Continue lendo Sobre Kirilov, personagem de Dostoiévski – Albert CAMUS

“Materialismo, Niilismo e Ateísmo na Filosofia Contemporânea” (Maria Filomena Molder)

https://www.youtube.com/watch?v=Kw70-2hzxI8 Última mesa do V Colóquio Internacional Nietzsche. O tema da mesa foi "Materialismo, Niilismo e Ateísmo na Filosofia Contemporânea". Expositores:Dr. Maria Filomena Molder (Universidade de Lisboa)Dr. Yolanda Gloria Gamboa Muñoz (PUC-SP)Dr. Oswaldo Giacoia Junior (Unicamp) O V Colóquio Internacional Nietzsche ocorreu entre os dias 16 e 17 de outubro de 2013 no Instituto de… Continue lendo “Materialismo, Niilismo e Ateísmo na Filosofia Contemporânea” (Maria Filomena Molder)