Novos aforismos temáticos de Cioran: Buda/Budismo

Buda e o budismo: a mais nova seleção de aforismos temáticos, extraídos e dispostos cronologicamente da primeira à última ocorrência dos termos-chave no conjunto da obra de Cioran. Confira aqui a seleção integral (as ocorrências das Entretiens e dos Cahiers serão incluídas posteriormente). Se até o próprio Buda encontrou um subterfúgio para justificar a inutilidade… Continue lendo Novos aforismos temáticos de Cioran: Buda/Budismo

As Velhinhas e o Diabo, Serial Killers e Canibais: aforismos de Ciprian Vălcan

A história do homem contemporâneo será a história dos monstros que terá produzido. A partir do século XXII, não concederão mais o prêmio Nobel, mas o prêmio Breivik. O estágio final do capitalismo é o canibalismo. Todos os cineastas que encontrei falavam do grande talento para atuar dos prisioneiros. Seria necessário, provavelmente, um serial killer… Continue lendo As Velhinhas e o Diabo, Serial Killers e Canibais: aforismos de Ciprian Vălcan

“O sentido de nossa jovialidade” – NIETZSCHE

O maior acontecimento recente — o fato de que “Deus está morto”, de que a crença no Deus cristão perdeu o crédito — já começa a lançar suas primeiras sombras sobre a Europa. Ao menos para aqueles poucos cujo olhar, cuja suspeita no olhar é forte e refinada o bastante para esse espetáculo, algum sol… Continue lendo “O sentido de nossa jovialidade” – NIETZSCHE

Cioran: conhecimento e sofrimento, titanismo e expiação (4 contextos)

Nada do que sabemos está livre de expiação. Pagamos caro, cedo ou tarde, por cada paradoxo, coragem de pensamento ou indiscrição do espírito. No castigo que sucede a qualquer progresso do conhecimento há um estranho feitiço. Arrancaste o véu que encobre a inconsciência da natureza? Pagarás com uma tristeza cuja origem não podes suspeitar. Te… Continue lendo Cioran: conhecimento e sofrimento, titanismo e expiação (4 contextos)

Imagens de Deus no Livro das Ilusões (1936), de Emil Cioran

A ideia fixa do sistema não é menos suspeita quando se aplica ao estudo dos místicos. Trata-se de uma atitude ainda tolerável no caso de Mestre Eckhart, porque ele próprio teve o cuidado de disciplinar o seu pensamento: pois não era ele um pregador? [..] Mas que dizer de um Angelus Silesius, cujos dísticos se… Continue lendo Imagens de Deus no Livro das Ilusões (1936), de Emil Cioran

“Prosa e Poesia” – NIETZSCHE

Observe-se que os grandes mestres da prosa foram quase sempre poetas também, seja publicamente ou apenas em segredo e “para os íntimos”; e, de fato, apenas em vista da poesia se escreve boa prosa! Pois esta é uma ininterrupta e amável guerra com a poesia: todo o seu charme consiste em que a poesia é… Continue lendo “Prosa e Poesia” – NIETZSCHE

Influência como Dis-Astrum, Melancolia e “Inferno Astral”

Não há fim para a “influência”, palavra que Shakespeare usou em dois sentidos diferentes mas relacionados. Pouco antes da segunda entrada do Espectro, na primeira cena de Hamlet, o erudito Horatio evoca o mundo de Júlio César de Shakespeare, onde: Pouco antes de tombar o poderosíssimo Júlio,As tumbas estavam desabitadas e os cadáveres amortalhadosGuinchavam e… Continue lendo Influência como Dis-Astrum, Melancolia e “Inferno Astral”

Aforismos temáticos: Nietzsche na obra de Cioran

Por ocasião da próxima live tertúlia — Cioran, leitor de Nietzsche — reunimos as ocorrências de Nietzsche na obra de Cioran, desde seus primeiros textos em língua romena até os escritos franceses. Uma visão sinóptica das impressões causadas no autor romeno — ao longo do tempo, livro após livro — pelo filósofo alemão, e das… Continue lendo Aforismos temáticos: Nietzsche na obra de Cioran

“Ditos & Contraditos”: Aforismos de Karl KRAUS

Apresentação Para fazer uma excelente sátira, bastadizer a maior parte das coisas como elas são.Karl Kraus, Hüben und Drüben(Do lado de cá e do lado de lá) Karl Kraus não foi apenas o maior autor satírico de língua alemã do século XX, mas chegou a ser considerado um dos maiores satiristas de todos os tempos,… Continue lendo “Ditos & Contraditos”: Aforismos de Karl KRAUS

Como o “mundo verdadeiro” se tornou finalmente fábula – Friedrich NIETZSCHE

História de um erro O mundo verdadeiro, alcançável para o sábio, o devoto, o virtuoso — ele vive nele, ele é ele.(A mais velha forma da idéia, relativamente sagaz, simples, convincente. Paráfrase da tese: “Eu, Platão, sou a verdade”.) 2. O verdadeiro mundo, inalcançável no momento, mas prometido para o sábio, o devoto, o virtuoso… Continue lendo Como o “mundo verdadeiro” se tornou finalmente fábula – Friedrich NIETZSCHE